O projeto Feliz é quem diz nasceu há menos de um ano pelas mãos de Susana Almeida, uma jovem licenciada que tropeçou no design quando estava a frequentar Audiovisual e Multimédia na Escola Superior de Comunicação Social. Mal podia desconfiar que tinha encontrado o amor da sua vida e que iria mais tarde criar uma linha de produtos com um conceito bem original.

Quando questionada acerca da sua pessoa, Susana Almeida confessou que tem um mundo de ideias na sua cabeça, que é sonhadora e romântica e, sobretudo, humilde e lutadora. Devia ter nascido andorinha para poder viver na liberdade total. Não nasci com asas, mas tenho em mim uma vontade enorme de voar e ser livre todos os dias”

Foi esta necessidade de ultrapassar barreiras a sua grande motivação para tornar mais uma das “coisas que não chegam sequer a nascer” realidade. Tendo feito posteriormente um curso de design na Restart, tem de enfrentar todos os dias no seu trabalho como designer, todas as barreiras criativas impostas pelos clientes, pelos diretores criativos, pelos colegas, pela moda. Desta vez quis fazer uma coisa minha, à minha imagem, com tudo o que eu gosto. Se mais alguém gostasse isso seria um bónus”.

Primeiro lembrei-me do nome e depois do nome veio logo a primeira ilustração: «feliz é quem fotografa»”, não fosse uma adepta da máquina fotográfica analógica. “Tem mais glamour, mais «grão» e só assim pode ser perfeito!”, acrescenta. Susana contou ao Espalha-Factos que considera que “devia ser obrigatório sorrir a toda a gente” e “gostava de poder tomar um café com a Amélie Poulain, fosse ela um ser de carne e osso”.

Feliz é quem diz é também uma forma da jovem designer mostrar que a felicidade pode ser encontrada naquilo que porventura nos parece mais simples. “Acho que andamos sempre muito focados nos grandes momentos (…) e esquecemos que os grandes momentos são, por exemplo, os abraços que damos aos nossos amigos, o filme que mudou a nossa vida, beber um chá quente quando o frio nos gela os ossos, lamber os dedos depois de comer chocolate ou jogar às escondidas quando se tem 30 anos. (…) Detalhes, eu sempre amei detalhes e gosto de procurar pormenores e coisas em que os outros se calhar não reparam. Gosto de sorrir com essas coisas e fazê-las com um prazer maior, porque lhes estou a dar a atenção devida!”.

A linha de produtos de Susana Almeida inclui malas, aventais, placas de ardósia, posters, postais, calendários, marcadores de livros e crachás, com ilustrações da sua autoria. “Muito brevemente vou ter também canecas”, acrescenta. Os preços dos seus artigos vão desde 1€ até a um montante máximo de 10€, exceto ilustrações por encomenda que “têm de ser pedidas por orçamento e conforme disponibilidade”.

As ilustrações personalizadas são feitas, sobretudo, para posters, embora seja possível alargar a modalidade aos outros produtos. Contudo, a designer ressalva que não o costuma fazer frequentemente, uma vez que “esses casos são mais demorados e também mais caros”.

Os produtos Feliz é quem diz podem ser encomendados através de mensagem na página do projeto, que conta já com cerca de 6 mil seguidores, ou via email. Existem também alguns produtos à venda na Lisboa-Amor, uma loja comunitária na Estrela, em Lisboa. Esporadicamente, Susana Almeida marca presença em algumas feiras como a Feira das Almas e a LxMarket.