7 Peças para ver até ao Natal

7 peças de teatro para veres até ao Natal

Começa a contagem decrescente para o fim do ano e o Espalha-Factos propõe alguns espetáculos de teatro que podem ver até ao fim de 2013. Está frio, pode chover e as salas de espetáculos portugueses estão de portas abertas, bem quentinhas, para que possas aplaudir algumas das melhores encenações que se fazem em Portugal. É Natal e não podes acabar 2013 sem ir pelo menos uma vez ao teatro!

Actor Imperfeito – Teatro do Bairro

Ator Imperfeito é uma peça baseada na obra de Shakespeare, o inconfundível e aclamado dramaturgo do séc. XVI que nos ofereceu intemporais obras como Hamlet ou Romeu e Julieta. A adaptação é feita por Luísa Costa Gomes e encenada por António Pires. Cláudio da Silva, Francisco Tavares, Jaime Freitas, João Araújo, Maya Booth, Rafael Fonseca, Rui Morrison e Solange Santos são os nomes que constituem o elenco. O espetáculo baseia-se em mais de 150 sonetos que Shakespeare escreveu sobre o amor e outros dos seus temas recorrentes. São cenas breves, compostas por triângulos amorosos e outras ocorrências que invocam o desejo, a traição e a paixão. A peça está em cena no Teatro do Bairro até 22 de dezembro. Em 2014 sobe ao palco do Teatro Nacional de S. João no Porto.

Actor Imperfeito

Galgar com tudo por cima de tudo – Comuna – Teatro de Pesquisa

Estreado no passado dia 6, é uma encenação de João Rosa que pretende assinalar os 125 anos sobre o nascimento de Fernando Pessoa. Para isso, o encenador pegou na vasta bibliografia de Álvaro de Campos e realizou um espetáculo que, para o encenador, é “uma ode de outras odes onde o mecânico ou o engenheiro é tomado por esta ‘Ofélia’ na sua procura de si mesmo entre sobressaltos e sonhos febris no meio de uma fábrica em actividade. Uma metamorfose no seu desejo de poder exprimir-se.” Este espetáculo está em cena até dia 20 de dezembro.

galgar com tudo por cima de tudo

4 Ad Hoc – Teatro da Cornucópia

Já estreado há algum tempo, este espectáculo continua na baixa lisboeta até ao dia 15 de dezembro. Luís Miguel Cintra, com base na bibliografia de Labiche, apresenta “quatro peças curtas de um dramaturgo que escreveu 176 peças, extremamente ligado à pratica teatral e que faz com o seu teatro uma espécie de retrato da vida burguesa da época”. Na sinopse, lê-se queLabiche é com Feydeau e Courteline um dos grandes mestres franceses do ‘teatro de boulevard do fim do século XIX e estas peças curtas são pequenas obras primas de humor e qualidade literária dos diálogos dramáticos, no fundo também entremezes que deixam de ser anónimos como a maioria dos entremezes de cordel portugueses do séc. XVIII, e são escritos por um membro da Academia Francesa.”.

4 ad hoc - Cornucópia

A Dama do Intendente – Teatro Municipal de Algés

Até dia 14 de dezembro permanece em Algés A Dama do Intendente. Nesta peça é feita  “a apologia do amor e incita-nos a tomar as rédeas da vida, para que deixemos de ser marionetes no nosso próprio corpo e possamos sentir tudo aquilo a que temos direito, escapando ao aturdimento de quem falhou ou perdeu pelo caminho.”. Um homem desfocado e uma mulher desperta, um quarto e muitas noites. Uma relação indefinida que os vais definindo como eternos insatisfeitos à procura do inacessível. Uma peça tortuosa e intensa que não vai querer perder.

Conhece um pouco mais da opinião da Raquel Silva sobre A Dama do Intendente aqui.

A Dama do Intendente

A Grande Estreia – Tivoli BBVA

E para nos fazer rir a UAU traz-nos uma comédia distinguida com o Prémio Mouliére de Melhor Comédia de 2011. Uma encenação de António Pires que conta, no elenco, com Ana Bola, Pedro Diogo, Miguel Damião e Victor de Sousa, entre outros. Todos são carismáticas personagens-tipo que vão desde uma diva a um grupo de desajeitados e que chocam uns com os outros numa aventura em que tudo corre mal e onde se originam situações de grandes gargalhadas. A Grande Estreia é uma comédia cheia de pequenos e grandes enganos, onde tudo corre mal. O canastrão, a diva, o principiante e uma pequena trupe de falhados deambulam pelo palco numa sucessão de equívocos a que não conseguem por termo.”, conta-nos a sinopse do espetáculo. E para quem está entediado de desgraças ou encenações complicadas de ver, esta é uma boa opção.

a grande estreia

A Noite – Teatro da Trindade

Outra boa opção para esta época é a comemoração do 15º aniversário da atribuição do Prémio Nobel da Literatura a José Saramago. Explica-nos o autor que “o ato passa-se na redação de um jornal, em Lisboa, na noite de 24 para 25 de abril de 1974. Qualquer semelhança com personagens da vida real e seus ditos e feitos é pura coincidência. Evidentemente.”, com a ironia e sarcasmo que lhe é próprio. Este espetáculo continua em cena até dia 29 de dezembro e o Wilson Ledo brindou-nos com a sua opinião aqui.

A noite - Saramago

Um Inimigo do PovoComuna – Teatro de Pesquisa

Em Um Inimigo do Povo, é nos apresentado o Dr. Thomas Stockmann, um homem determinado e idealista que, acima de qualquer outra coisa, preza a “verdade” – mas parece ser o único…  Sob uma iminente ameaça à saúde pública, Thomas acaba por descobrir que “verdade” é um conceito muito mais relativo do que imaginara e que são os média e o poder político-económico quem dita aquilo com que as massas se preocupam. Encurralado entre a visão liberal de um só sujeito e os dogmas insidiosos de toda uma sociedade, Thomas questiona o seu papel num mundo que não quer ser verdadeiro. A peça mais polémica de Henrik Ibsen promete, no mínimo, incomodar, ao não hesitar pôr em causa a capacidade de julgamento da maioria. O espetáculo está em cena até 22 de dezembro.

um inimigo do povo

As sugestões de 7 peças de teatro que podes ver até ao Natal foram escritas por André Tenente, Raquel Dias da Silva, André Franco e Rita Mata-Seta.

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Mulher Maravilha é um filme escrito, realizado e protagonizado por mulheres
Cinemas registam melhoria e ‘Wonder Woman 1984’ continua em primeiro