Será nos dias 22 e 23 de novembro que o Teatro Nacional Dona Maria II acolherá na Sala Estúdio a peça Metastasipolis. Este trabalho é o principal destaque da terceira semana do Teatro Avulso, uma iniciativa que procura oferecer uma variada gama de espetáculos de forma fluída e dinâmica, com várias peças ao longo de um breve período de tempo. A peça é da autoria de João Silva e produzida pelo Grupo de Teatro Terapêutico do Hospital Júlio de Matos.

De acordo com um comunicado oficial, Metastasipolis “é uma farsa que não pretende formar ou informar, nem mesmo atirar exemplos. É apenas um exercício coloquial para a diversão dos bem formados.” A peça foi escrita em 1997 e brevemente ganhará forma, cor e vida no palco Estúdio do Teatro Nacional. É trabalho dramatúrgico onde “se alteram comportamentos” e ” gentes e bichos assumem vivências patéticas e psicóticas” num frenesim onde o “espaço e o tempo se confundem e o insólito acontece.

A interpretação é levada a cabo por Ana Paula Bastos, André Carvalho, António Pestana, Carlos Neves, Estela Augusto, Filipe Carmo, Manuela Borges, Maria José Santos, Nuno Monteiro, Olga Varanda, Pascoal Barros, Rita Fernandes e Ariana Santos.

A iniciativa Teatro Avulso do Teatro Nacional Dona Maria II realiza-se de 8 de novembro a 15 de dezembro exclusivamente na Sala Estúdio. Trata-se de uma selecção variada de peças entre as quais já figuraram Sermão aos Peixes, uma visão diferente do trabalho secular de Padre António Vieira, Pessoa –  o grande ausente baseado na obra do poeta português, 20 Dizer que conta com uma variada baseada na declamação de poemas e Fil’mus, um espetáculo que trata da 7ª arte. Em breve passarão ainda pela Sala Estúdio trabalhos como Materiais Diversos, 1325 ou A Visita.

Pode aceder a mais informações relativamente à calendarização, horários e outros detalhes no website oficial.