Festival Temps D'Images

Festival de cinema exibe filmes sobre arte em Lisboa

O auditório Aurélio Quintanilha, no Museu Nacional de História Natural e da Ciência, em Lisboa, vai ser palco para a 11ª edição do Festival Temps D’Images, uma competição internacional que irá atribuir Prémios de Cinema para filmes sobre Arte. Entre os dias 22 e 26 de novembro, serão exibidas 34 curtas e longas-metragens, sendo nove portuguesas. A entrada é livre.

Entre os nove representantes do cinema lusitano destaca-se O Encontro, realizado por Rita Caldeira, e que fala sobre o escritor Fernando Guilherme Azevedo. O Enxoval, de Pedro Macedo, com Joana Vasconcelos e as noivas de Nisa, e A Nau Catrineta, de Artur Correia, são também dois dos filmes que competirão no festival.

Na competição estarão também os filmes A Luz da Terra Antiga, de Luís Oliveira Santos, que se foca nos fotógrafos Orlando Ribeiro e Duarte Belo, e Tabatô, de João Viana.

De entre o cinema estrangeiro destacam-se as produções alemãs John Cage – Journeys in Sound, de Allan Miller e Paul Smaczny, e Alvin Lucier em No Ideas But in Things, de Viola Ruscher e Hauker Harder. Pela França, a película A Barrel of Laugh, de Arnaud Lalanne, vai marcar presença, assim como o filme sul-africano Mama Goema: The Cape Town Beat of Five Movements, por Sara Gouveia, Àngela Ramirez e Calum MacNaughton, e que transporta os espectadores numa viagem musical pelo coração da Cidade do Cabo.

Também haverá filmes que irão além do tema das artes e realçam a vida de artistas. Um desses filmes é da autoria do realizador francês Mark Videl, que vai concorrer com Fabienne Verdier – Peindre L’Instant, que aborda a pintora e a sua forma de demonstrar, através da pintura, a filosofia e as práticas dos mestres taoistas com quem estudou durante dez anos.

Também os Estados Unidos não ficaram de fora neste festival. Rima Yamazake concorre com Joan Jonas Reanimation, sobre uma das pioneiras do vídeo e da performance. Por sua vez, Karen Arthur apresenta Amos Ferguson – Match Me If You Can, um filme acerca de um espiritual e intuitivo artista das Bahamas.

Da Nova-Zelândia, Sue Healey exibe Virtuosi, um filme sobre dança, que conta com a música do músico de jazz neozelandês Mike Nock.

O realizador Luís Alves Matos e seis estudantes de artes/cinema são os membros deste ano do júri que vai atribuir os galardões nas categorias de melhor filme, melhor filme português, o filme que mostra a importância da arte na sociedade de forma mais original e ainda duas menções honrosas.

Este festival de cinema da Temps D’Images é dirigido e programado pela artista e realizadora Rajele Jain.

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
mank
‘Mank’. Netflix lança trailer oficial de novo filme de David Fincher