A mais famosa personagem do universo de Walt Disney foi descoberta pelos espectadores de todo o mundo a 18 de Novembro de 1928, na curta metragem Steamboat Willie.

Foi há oitenta e cinco anos que tudo começou: graças ao pequeno rato destemido e provocador, Walt Disney criou, com o desenhador Ub Iwerks, o personagem que se tornou a base do seu império cinematográfico, que perduraria até à sua morte e que continua a crescer na atualidade.

Em 1929 o rato Mickey surgia nos Cinemas num pequeno filme animado, sem diálogos, mas onde se podia ver logo algumas das características divertidas que caracterizaram a personagem nas diversas transformações que sofreu ao longo das décadas. A sua voz foi gravada pelo próprio Walt Disney, que viria a ser o intérprete do rato em muitas aventuras durante quase vinte anos.

Mas na verdade, o rato Mickey já tinha aparecido em duas curtas anteriores a Steamboat Willie, elaboradas por Disney e os seus técnicos de animação também em 1928: Plane Crazy e The Gallopin’ Gaucho. Contudo, os testes com audiências da primeira curta (que começou por ser muda) não foram positivos e acabou por ser posta de parte, e a segunda foi um projeto que só ficou concluído após a estreia da terceira. Walt Disney decidiu aproveitar o sucesso planetário da terceira para dar uma nova forma a estas duas curtas originais e obter mais lucros.

Apesar de ter recebido algumas queixas devido aos gags em que Mickey faz música com animais e a outros que mostram práticas que são completamente invulgares nos dias de hoje, a curta foi e é ainda aclamada pelo público e pela crítica, não só por ter introduzido uma das personagens mais famosas dos desenhos animados, como também por ser uma peça que trouxe uma grande inovação ao panorama da animação cinematográfica, já que foi um dos primeiros filmes a conseguir sincronizar o som com a animação. E em 1998, Steamboat Willie foi selecionada para preservação pelo American Film Institute ao lado de várias longas-metragens conceituadas americanas.

Foi assim que começou a vida do rato mais famoso do mundo, onde o vemos como um piloto de um pequeno barco a vapor, às ordens de um prepotente capitão, e por lá também aparece Minnie, a eterna namorada de Mickey. E em 1935 o rato e os seus amigos ganharam cor, na curta The Band Concert.

O império de Mickey continuou e até hoje nunca mais parou, propagando-se em muitas outras curtas e longas-metragens, mas também em séries de TV (como o programa infantil A Casa do Mickey Mouse), e em milhões de produtos de merchandising, sendo que o primeiro deles foi um relógio de pulso, comercializado no princípio da década de 30. E o rato já foi também alvo de vestuário, brinquedos, livros, bandas desenhadas e, mais recentemente, de alguns jogos de vídeo.

A popularidade do rato Mickey nunca parou de crescer desde 1928 e ele permanece hoje como uma das figuras animadas mais populares e reconhecíveis do planeta. Foi graças a esta personagem que Walt Disney desenvolveu todas as suas criações posteriores, criando uma marca inconfundível na indústria da animação. Mas tal como o próprio dizia, “Só espero que nunca nos esqueçamos de uma coisa – que tudo começou com um rato”.

Vê aqui na íntegra a curta Steamboat Willie:
http://youtu.be/BBgghnQF6E4