Por forma a celebrar o 91º aniversário do conhecido Nobel da Literatura, a Fundação José Saramago lança uma iniciativa durante este sábado que visa levar os passageiros do metropolitano de Lisboa a escutarem textos de grandes escritores portugueses. Esta é uma das atividades do Dia do Desassossego.

Durante o dia, os passageiros do metro terão oportunidade de ouvir passagens de grandes obras como O Ano da Morte de Ricardo Reis, de José Saramago, O Livro do Desassossego, de Fernando Pessoa/Bernardo Soares, entre outros autores lusitanos, que serão declamadas por quatro elementos do Grupo Éter. As leituras terão lugar no Rossio (10h00), no Chiado/Praça Luís de Camões (11h00), em Santa Catarina (12h00) e na Rua António Maria Cardoso (13h00). Estas sessões serão acompanhadas pela livraria móvel Tell a Story, que permanecerá junto à Fundação durante a tarde.

Enquanto isso, nas lojas A Vida Portuguesa e nos Quiosques de Refresco de Lisboa vão ser distribuídos mapas com o percurso de O Ano da Morte de Ricardo Reis. Pelas 15h00, no auditório do Museu do Neo-Realismo em Vila Franca de Xira será exibido o filme José & Pilar, de Miguel Gonçalves Mendes.

Também na Casa dos Bicos se celebrará este dia, com uma sessão de contos com Rodolfo Castro, às 16h30. De seguida, às 18h00, serão apresentadas duas novas edições de obras de José Saramago: a reprodução do primeiro original datilografado de Clarabóia, apresentado pelo escritor Miguel Real, e A Maior Flor do Mundo, com ilustrações de André Letria e apresentado pelo designer gráfico Jorge Silva.

Para terminar, às 21h00 o documentário Ulisses será exibido, a partir de uma ideia de Rui Tavares. O mesmo estará presente na exibição, em conjunto com outros convidados.

Para mais informações acerca deste evento, clica aqui.