O Halloween (ou Dia de Bruxas, para quem não gosta de inglesices) está a chegar e o Espalha-Factos traz-te uma playlist bem maneirinha para passares uma noite de arromba com os teus. Seja para pedir doces ou cerveja aos vizinhos, o Cena Extrema proporciona o tónico de malvadez para que te divirtas e te portes mal.

Misfits – Mommy, Can I Go Out and Kill Tonight?

Começamos logo a abrir com os papás do Horror Punk, os Misfits. Esta é para todos aqueles que entendem como travessura a matança sanguinolenta de bullies ou miúdas de nariz empinado. Só não se esqueçam de pedir autorização à vossa mamã. Facto bónus: a outra banda Punk do vocalista Glenn Danzig chama-se Samhain, celebração celta que se veio a tornar no Halloween moderno (the more you know).

Helloween – Halloween

O nome da banda e da música podem ser confusos, mas a sonoridade, essa é inconfundível. Power Metal germânico de gema (gêmanico?), este épico de 13 minutos pega na temática do Halloween, no perigo sedutor de ir tentar a sorte nas ruas, transforma-a num duelo entre o bem e o mal. Destaque para o baixo bem mauzão do Markus Grosskopf. “Now make your choice, Redeemed or enslaved.” (Versão editada para os preguiçosos aqui)

Type O Negative – Black nº1 (Little Miss Scare-All)

http://youtu.be/5xjtxCdMyQ4

Chegamos a um dos clássicos desta época festiva. O Halloween é uma época de sátira, e poucas bandas entenderam e incorporaram este conceito tão bem como os Type O. A música em questão é uma ode mordaz às góticas centradas no culto da imagem (o que é curioso, visto que esta é das músicas mais populares de uma banda que no seu pico atraiu montes de groupies). E se a voz vampírica de Pete Steele não soltasse letras como “Will she trick or treat? I bet she will”, os teclados brincalhões cumpririam bem o papel de nos meter na disposição para o Dia das Bruxas. (Versão editada para os preguiçosos aqui)

Death – Evil Dead

Não podia haver uma lista destas sem haver uma menção àquele proto-death metal javardão que os Autopsy, os Possessed e os Death (em início de carreira) andaram a destilar na segunda metade da década de 80. A música, inspirada do filme clássico de terror do mesmo nome, parece que foi captada numa tumba, com Chuck Schuldiner e os seus compinchas possuídos por espíritos malignos. O Bruce Campbell ficaria orgulhoso.

Midnight Priest – Rainha da Magia Negra

http://youtu.be/kmm_olgLax0

Meia-noite, levaram-me a Íalma, O feitiço da chama fez-me perder toda a calma”. Os maidenescos Midnight Priest encaixam que nem uma luva nesta lista, pois se isto não vos dá vontade de ir fazer um pacto com Satanás nesta noite profana, então deviam estar a ler outro artigo. Abanar a cabeça cantando alegremente sobre ritos satânicos é giro, mas em português tem outro sabor.

Blue Öyster Cult – Don’t Fear the Reaper

Aposto que não estavam à espera desta. Não só a música apareceu no filme Halloween de John Carpenter, como também está ligada ao dia 2 de Novembro (dia dos Fiéis Defuntos) por ser sobre a inevitabilidade e aceitação da morte. Hoje em dia é mais conhecida por ter sido parodiada no Saturday Night Live pelo Christopher Walken, mas não se deixem enganar, é um grande clássico do Rock setentista.

Electric Wizard – Witchcult Today

http://youtu.be/OW5JNKUjNIA

Já que referimos os BÖC, precursores do Rock oculto, faz sentido acompanhar essa moção com uma banda mais actual. Os Electric Wizard, exponente máximo de tudo o que é magia negra, narcóticos e as duas coisas juntas, lançaram em 2007 um hino às bruxas em forma sónica. E neste que é o Dia das Bruxas, porque não juntar a família, comprar amplas quantidades de herbáceas ilícitas e tentar trazer Belzebu à Terra através de encantações proibidas?

King Diamond – Halloween

http://youtu.be/CWsm4TOqIno

De volta à ortodoxia, mais uma música de Heavy Metal tradicional. Sim, mais uma. Sim, a voz do King Diamond é um caso de amor/ódio. Não, nem toda a gente aguenta falsettos destes. Mas seria um crime não colocar esta música na lista. Primeiro, porque é de qualidade inegável no género. Segundo, porque a temática ajusta-se perfeitamente. Terceiro, porque o Halloween tem uma componente de teatralidade e poucos têm-na como o KD. Quarto, porque mesmo que se aperaltem todos e todas para a noite de Halloween, nunca vão conseguir ter uma pintura de cara tão boa como esta.

Tech N9ne – Psycho Bitch

http://youtu.be/WtjEg4WC2gw

“And now, for something completely different“. A malta aqui do Cena Extrema não ouve só castanhada, e não podia faltar um pouquito de Hip-Hop. Esta música foi a escolhida, mais não seja porque a melodia que acompanha o beat é a do sempiterno Halloween. Mas não é só isso que é desconcertante, também a história de uma amante obsessiva, roçando o homicida, e o próprio flow intenso do Tech N9ne ajudam à festa. Se na festa de Halloween alguém vos estiver a lançar um olhar demasiadamente maroto (os “crazy eyes”), vão se lembrar imediatamente desta música.

Bizarra Locomotiva – Outono

Mais talento nacional para ser promovido entre vós. Desta feita, os sempre sombrios Bizarra Locomotiva anunciam aqui a época da morte, o Outono. Não dançável nem propriamente headbangable (porque “Abanar-a-cabeçável” não existe), esta é uma música mais ponderativa. Rui Sidónio sussurra “Tortura-me o mudar da paisagem, o sacudir da folhagem, o vento soprado, das bocas esmagadas“. Parece ser uma antítese da Don’t Fear the Reaper mas num cenário industrial, apodrecido, coberto de smog e lixo tóxico. O Halloween não pode ser só festa.

Black Sabbath – Black Sabbath

http://youtu.be/b6VdTVsLiRQ

Palavras para quê? Criada no seguimento da morte do Flower Power e considerada por muitos como uma das músicas que fundou o Heavy Metal, a Black Sabbath ainda provoca um sentimento de temor em quem a ouve mais de 40 anos passados desde o seu lançamento. Sejam os samples da chuva e dos sinos, a voz fantasmagórica de Ozzy Osbourne ou o famoso riff em trítono (banido durante séculos por se considerar que chamava o Diabo) causador de calafrios, a Black Sabbath é A música de Halloween. Considera-te avisado/a.

Rockwell ft. Michael Jackson – Someone’s Watching Me

Ok, esta é de bónus. O Rockwell não vale nada, aliás, o que as pessoas se lembram da música é do refrão cantado pelo Rei da Pop, mas a música tem uma melodia viciante e até é gira.

Não, não pusemos a Thriller. Tenham paciência, até a minha avó já ouviu isso.

*Por opção do autor, este artigo foi escrito ao abrigo do Acordo Ortográfico de 1945.