Katy Xiomara

Portugal Fashion: Katty Xiomara e Carlos Couto em destaque no segundo dia

O Portugal Fashion completou o seu segundo dia. Desta vez na Alfândega do Porto, os destaques cabem às coleções de Elizabeth Teixeira, Carlos Couto (BLOOM) e Katty Xiomara.

O dia começou com a apresentação de três criadores moçambicanos, Alexandre Tique, Taússe Daniel e Telma Orlando. O primeiro foi o mais assertivo e, apesar de pouco original, construiu uma coleção de menswear coesa, onde sobressaiu uma abordagem minimalista à cor e à forma, alterando entre peças com mais estrutura e outras mais casuais.

PT Fashion
Um dos modelos Taússe Daniel © Joana Santos Leite

A abrir a plataforma dedicada aos jovens designers recém-formados, a designer brasileira Elionai Campos apresentou uma coleção limpa, com modelagem geometrizada e a insistir em alguns paineis assimétricos. O padrão discreto é atenuado pelo colorido cinzento e preto, em camadas nitidamente diferenciadas.

Sucedeu-lhe Anabela Baldaque, na passarela principal. Insistindo naturalmente em cortes a lembrar as silhuetas dos anos 20, 30 e 60, mais geometrizados e de cair evasé, os materiais luxuosos exaltam a feminilidade da cliente da designer. Com Diário, Baldaque expõe com delicadeza as suas memórias e cria um ambiente intimista através de looks com uma descontração subtil e cores vivas e intensas. Abundam padrões, geométricos, lineares, florais, sem que se tolhe o rumo, e detalhes muito femininos, como laços, encaixes, folhos e aplicações. O último grupo, assumidamente mais geométrico, com mix de padrões e propostas mais dinâmicas foi, definitivamente, a melhor parte da coleção.

Coleção de Anabela Baldaque © Juliana Pereira
Coleção de Anabela Baldaque © Juliana Pereira
Anabela Baldaque © Joana Santos Leite

A moda portuguesa, a pouco e pouco, tem criando uma abordagem própria ao menswear e, para tal, muito têm contribuído os designers mais recentes. Mafalda Fonseca (BLOOM) não é exceção e investiu numa coleção masculina, em tonalidades neutrais, com diversos padrões de riscas e geometrias assumidas, looks industriais de onde se destaca a rigidez da silhueta e grande clareza formal. Um pouco de desiquilíbrio fez a coleção respirar na última parte, e o dinamismo do padrão de riscas finas em oposição a encaixes pretos com reflexos diferentes subtis, direcionou a coleção para um discurso mais moderno e pró-ativo.

Ricardo Preto, em Meam, procura com a nova coleção, Between, um equilíbrio estético com peças descontraídas e cortes geométricos. Existe uma grande diversidade em padrões, inspirados em azulejos, flores e paisagens, e uma simplicidade presente na grande maioria das peças. Sente-se descontração no tamanho das peças, largas no corpo feminino, e nas cores amarelas, laranjas, rosas, azuis e brancas. Ricardo Preto volta a apostar no conforto e na diversidade de peças com a nova coleção de primavera-verão.

Meam by Ricardo Preto © Juliana Pereira

 

Meam by Ricardo Preto © Juliana Pereira

Elizabeth Teixeira trouxe Dévoiler à Alfândega do Porto, uma reinterpretação das novas tribos e o folclore nas contemporaneidade. A criação de uma simbiose entre as tribos de África do Norte e a geração desportiva foi a intenção da designer ao criar a coleção, visível nas burcas criadas em duas peças desportivas – uma de cor branca e suave e outra em tons vermelhos, a transmitir vivacidade. É destacar a colaboração de Elizabeth Teixeira com Olga Noronha nas correntes e jóias desenvolvidas e apresentadas nas peças. Depois de apresentar as peças de joalharia na plataforma Sangue Novo da ModaLisboaOlga Noronha apresenta novos modelos no Portugal Fashion e é cada vez mais reconhecida na moda e joalharia no nosso país. Com Dévoiler, a designer de moda propõe um novo excesso às peças desportivas e de streetwear, terminando com cores suaves e elegância nos modelos apresentados.

Dévoiler by Elizabeth Teixeira © Juliana Pereira
Dévoiler by Elizabeth Teixeira © Juliana Pereira
Dévoiler by Elizabeth Teixeira © Juliana Pereira

Carlos Couto (BLOOM) apostou numa coleção feminina, forte na harmonia das cores brancas, verdes e azuis. A suavidade das diversas cores encontra-se espalhada nos padrões criados pelo designer. Para além do branco, é o preto que oferece ainda mais elegância a uma mulher que aposta no conforto e em silhuetas geométricas, com diversas camadas em algumas peças.

O segundo dia de Portugal Fashion, e o primeiro na Alfândega do Porto terminou com a coleção de Katty Xiomara. Em Sketchcolors reaproveitou a inspiração no azulejo português, interpretando artisticamente em algumas peças e criando novos modelos coloridos – esses que podiam estar presentes em qualquer local do nosso país. Atentar, em primeiro lugar, neste pormenor nas peças da coleção de Xiomara é deliciar-se com os pormenores. Cores simples e padronizadas constroem um puzzle, uma harmonia na maioria das peças. O nome Sketchcolors não foi escolhido à toa, existem reflexões nos ideais artísticos da escola Bauhaus, em que a criação artística é construída em bases já adquiridas pela humanidade. A coleção de Katty Xiomara é rica em cores, peças, formas geométricas. Um sabor agridoce que fechou o segundo dia de desfiles da semana de moda no Porto.

Katty Xiomara © Juliana Pereira
Katty Xiomara © Juliana Pereira
Katty Xiomara © Juliana Pereira

Texto escrito por Tiago Loureiro e David Pimenta

Fotografias por Joana Santos Leite e Juliana Pereira

Mais Artigos
armie hammer
Canibalismo, violência e abuso: Armie Hammer protagoniza o mais recente escândalo de Hollywood