Depois do muito elogiado Take Shelter, Jeff Nichols apresenta agora Fuga, um filme que conta com Matthew McConaughey no papel principal e numa das melhores prestações da sua carreira.

O destino de dois rapazes, Ellis (Tye Sheridan) e Neckbone (Jacob Lofland), cruza-se com Mud (Matthew McConaughey), um fugitivo escondido numa ilha, no Mississippi. Intrigados com a história de Mud, os rapazes decidem ajudar o homem que, apesar de ser acusado de homicídio e ter caçadores de recompensas no seu encalce, justifica os seus atos criminosos em prol do seu grande amor, Juniper (Reese Witherspoon), que aguarda na cidade para fugir com ele. Será que os dois rapazes podem confiar na história do  misterioso Mud?

mud-whysoblu-5-1024x682_zps6ca132fd

Jeff Nichols é já perito em analisar e em mostrar as emoções humanas, em Take Shelter ele serve-se de um cenário apocalítico para estudar a reação das suas personagens e o modo como interagem entre si, num retrato bastante intimista de uma família regida por um homem que vai perdendo a noção do real. Em Fuga o foco parece ser a conturbada fase da pré-adolescência de Ellis e de Neckbone, servindo-se da história de Mud para a mostrar. Com isto quero dizer que, na verdade, este filme de Nichols é primeiramente um ensaio sobre uma das fases mais conflituosas dos seres humanos e não tanto uma história sobre assassinos e mafiosos.

Este retrato tão íntimo que temos sobre as personagens infantojuvenis muito se deve às fantásticas performances de Tye Sheidan e Jacob Lofland. A química que existe entre estes dois atores transparece para a tela e a sua relação de amizade é simplesmente dos melhores aspetos de toda a película. A forma como suportam a maior parte do filme é incrível já que talvez tenham até mais tempo de cena que McConaughey, que , mesmo não aparecendo tão frequentemente, rouba completamente o filme, entregando uma excelente performance e um Mud quase tão enigmático como a personagem de Gosling em Drive, referência aqui ao filme de Nicolas Winding Refn que se justifica com o facto de estas duas personagens serem bastante similares.

mud-featured-image

Em termos da narrativa, Fuga está muito mais forte na primeira parte que na segunda. Juniper foi talvez o maior erro do argumento, a história do amor proibido entre ela e Mud foi um tanto ou quanto desnecessária. Digo isto porque o filme teria material suficiente se apenas se focasse nas 3 personagens até então visadas, Mud, Ellis e Neckbone. A história torna-se confusa e parece até um pouco aparte de todo o filme, como se se tratasse de uma narrativa secundária e não como a principal, como era o suposto ser.

Ainda há que referir que em termos técnicos Fuga é bastante interessante. A fotografia está bem conseguida, tal como a montagem. A banda-sonora acompanha bem a ação do filme e é talvez também um dos pontos mais fortes da película de Nichols.

Em suma, Fuga é um excelente ensaio sobre a pré-adolescência de dois miúdos que cresceram nas margens de um rio no Mississippi, mas é um mau filme de mafiosos e amores proibidos.

7/10

Ficha Técnica:

Título Original: Mud

Realizador: Jeff Nichols

Argumento: Jef Nichols

Elenco: Matthew McCnaughey, Tye Sheridan, Jacob Lofland, Reese Witherspoon

Género: Drama

Duração: 130 minutos