O final do século XIX vai ser retratado na próxima série de época da RTP1: Uma Família Açoriana é o espelho do ambiente açoriano vivido no seio de uma poderosa família. Nicolau Breyner, Maria João Luís, Nuno Gil, Duarte Guimarães e Catarina Wallenstein são os protagonistas desta obra de ficção. Inspirada na obra Os Cantos, de Maria Filomena Mónica, esta série histórica de oito episódios aborda 10 anos da vida de uma abastada família de São Miguel, ilha do Arquipélago dos Açores.

A realidade histórica funde-se com a ficção para criar uma história que atravessa Portugal, Europa e América. Os conflitos internos e externos da família liderada por Vasco Falcão (Nicolau Breyner) vão ser constantes. Numa conjugação de dramas pessoais com fatos históricos, esta será uma história marcada pelas paisagens açorianas que são o pano de fundo onde se desenvolvem os acontecimentos. Conservador na família, mas, ao mesmo tempo, impulsionador da sua região, Vasco Falcão ramifica-se nos seus problemas, seja com a esposa Maria Augusta (Maria João Luís), seja com os dois filhos – António (Duarte Guimarães) e Pedro (Nuno Gil). Para destabilizar ainda mais o ambiente de mudança aparece o Cônsul Americano e, em especial, a sua filha Rose (Catarina Wallenstein). A paixão irá florescer no interior dos dois irmãos numa altura que a sua relação já estava comprometida pelos negócios familiares.Uma Família Açoriana RTP

A complexidade de uma série de época é elevada, revela Nicolau Breyner: “foi muito complexo, envolveu muitos atores, figurantes, maquinaria, cavalos e carruagens”. O ator acrescentou ainda que “tivemos, inclusivamente, de reinventar ruas do começo do século XIX, em pleno coração de Ponta Delgada”, tal como vincou o realizador João Cayatte“foi muito complexo mas também uma vitória, só estivemos lá três dias”.  O próprio admite ser “muito difícil fazer séries de época” mas que possuiu uma equipa excelente – “não houve falhas”, afirmou João Cayatte. uma família açoriana1Tanto Breyner como Cayatte – e outros elementos da produção – foram decisivos na escolha do elenco. “É um prazer trabalhar com estes belíssimos atores”, revela o também porodutor desta série, que afirma haver “um nível de representação notável” em Uma Família Açoriana. Também João Cayatte, o realizador deste projeto, mostrou-se contente por ter conseguido o elenco que desejou.

Os meios televisivos, cada vez com menos orçamento, começam a apostar em produtos mais baratos, o que não é o caso das séries de época. A própria produtora, Ana Costa, revelou ter existido “muito trabalho nesta série da parte de todos nós, uma vez que, mesmo com os apoios conseguidos, tivemos um orçamentos muito baixo para este tipo de série”. Hugo Andrade pretende inverter essa tendência das televisões portuguesas. O passado parece ser o presente e o futuro da estação pública, que tem apostado fortemente na ficção histórica (de relembrar Conta-me Como Foi, Depois do Adeus e, mais recentemente, Os Filhos do Rock a estrear brevemente). OLYMPUS DIGITAL CAMERAO diretor de programa da RTP1 adiantou que “gostaria que estes projetos, neste contexto socio-económico, sejam possíveis e, no que depender da RTP, vão ser”, acrescentando que “gostaríamos de ter uma série destas todos os anos”. “Queremos que as pessoas tenham memória futura destes momentos da História de Portugal”, defende, numa clara alusão ao serviço público de que o Canal 1 é portador.

A Lagoa das Furnas será um dos cenários com que os espetadores se poderão deslumbrar ao ver Uma Família Açoriana. Também Ponta Delgada marcará um evento importante: a construção do porto com a ajuda do patriarca produtor de laranjas. As personagens irão ainda percorrer Lisboa e Paris nas suas narrativas. Os vários membros deste projeto referiam-se aos locais de gravação como as “Ilhas Encantadas“, tal a beleza dos Açores.Quanto à aceitação da série pelos portugueses, o ator Nicolau Breyner é direto: “acho que o público funciona quando sente que se passou união, cumplicidade”. Para além disso, a equipa reforçou que os públicos de Uma Família Açoriana não são os mesmos dos concorrentes diretos (Casa dos Segredos 4, da TVI, e Factor X, da SIC).

Uma Família Açoriana marca também o regresso de Hugo Tavares à televisão: após Tempo de Viver (TVI) e Mar de Paixão (TVI), o ator tinha deixado o ofício para se dedicar a um negócio próprio. No elenco figuram ainda Maria D’Aires, Frederico Amaral, Carlos Santos, José Eduardo, Rita Brutt, Adriano Carvalho, Manuel Wilborg e Maria Leite. O pré-guião é da autoria de Maria Filomena Mónica – autor do livro – e de António Barreto. O guião final pertence a João Nunes. Esta é uma produção Cinepalco com a co-produção da Cinemate.

A estreia está marcada para este domingo, às 22h, na RTP1.

*Com Tiago Varzim.