1234447_

MOTELx’13: Quando a comédia e o terror se encontram

O MOTELx regressa novamente ao Cinema São Jorge e traz consigo a melhor programação terrorífica do último ano, sendo que neste primeiro dia a sala Manoel de Oliveira serviu de palco a uma sincera homenagem ao terror feito na Tailândia.

Countdown – 7/10

A Tailândia sempre se juntou ao pelotão da frente das maiores potências asiáticas no mundo do terror e a sua representação no MOTELx com Countdown não desiludiu, e, inclusive, arrancou fortes gargalhadas ao público. Sim, este é um filme recheado de humor que faz as delícias do espectador graças a um eficaz argumento e a uma sólida realização de Nattawaut Poonpirya.

sq_countdown_02_940x350

Countdown pode nem ser o mais antecipado dos filmes nesta edição fortíssima do festival, mas pode revelar-se numa boa surpresa até para aqueles mais medrosos e menos fãs do género. É um filme que agrada, por combinar bastante bem o humor com a parte mais negra, característica de qualquer filme de terror, afunilando-se para o final e tornando o ambiente cada vez mais pesado e claustrofóbico impelindo o espectador para a ação.

O ambiente familiar e o facto de se focar num núcleo de quatro personagens a vaguear apenas por cinco divisões de uma casa não o torna enfadonho de modo algum, consegue até fazer como que estejamos mais compenetrados na história e que acabemos por criar laços mais fortes com as personagens, principalmente o tão falado Jesus que graças à forte dedicação de David Asavanond e ao seu grande carisma torna essa a melhor e a mais deliciosa personagem de toda a longa-metragem.

Em termos técnicos são os pequenos aspetos que fazem de Countdown um filme que merece ser visto, a forma como os planos são manipulados, como o uso de slow motion é perfeitamente acompanhado por uma banda-sonora deveras inspirada, os jogos de iluminação em conjunto com as caretas de Jesus. Nota-se assim que houve um cuidado e uma especial atenção neste campo.

countdown02

O filme, infelizmente, apenas desilude nos seus momentos finais. Não foi de todo a previsibilidade que pecou neste caso, mas sim apenas o facto de não saber onde acabar o filme. Quando tudo parecia estar encaminhado para um final macabro, sangrento e bastante apelativo aos sentimentos do público houve um pequeno plot twist que apenas prejudicou a ação, o facto de se ter optado por um final muito mais brando mas reconfortante foi talvez a maior desilusão que Countdown teve para oferecer.

Se quiseres ainda ver este filme, Countdown irá ser projetado dia 13 pelas 14h15 na sala Manoel de Oliveira e não percas filmes como Chained, The Counjuring e até The Texas Chainsaw Massacre no festival mais assustador do país.

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Daniel Monteiro do Big Brother no Você na TV
‘Big Brother’ volta a empurrar ‘Você na TV!’ para a liderança