A ESPN tem como slogan ser “Líder Mundial em Desportos” (do inglês, Worldwide Leader in Sports). Todavia acabou, no final do último mês de junho como menos líder mundial em desportos, por ironia. A empresa, que é uma subsidiária do Grupo Walt Disney, decidiu recentemente que descontinuaria os canais ESPN America e ESPN Classic na Europa Continental, o que incluiu Portugal. Apenas o Reino Unido (Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte) continuará a transmitir os canais.

No MEO, as transmissões encerraram a 30 de junho deste ano. A decisão acabou por partir inteiramente da direção dos canais ESPN nos Estados Unidos, não satisfeitos com o desempenho dos mesmos. Aos consumidores portugueses, a retirada dos canais do lineup não acarretará nenhuma alteração na mensalidade (nem aumento nem diminuição de valores pagos). Convém notar que a decisão abrange todas as plataformas da ESPN em Portugal; Ou seja: os canais ESPN Classic e ESPN America (em alta definição – HD – e em definição comum – SD ou Standard Definition) deixarão de estar disponíveis em todos os operadores de televisão paga do mercado português.

É uma perda lamentável para o público. A ESPN America disponibilizava em exclusivo ao público português vários desportos populares sobre os quais era a única televisão a deter direitos de transmissão fora dos Estados Unidos da América. Um deles, por exemplo, é o Poker na World Series of Poker. Agora, se o consumidor português quiser assistir um campeonato de poker, terá de se contentar com algum campeonato online desenvolvido pela Poker Stars ou pela sua empresa irmã, a Full Tilt Poker – o World Series of Online Poker.

Ao início deste mês as operações no Reino Unido também cessaram. O BT Group comprou os canais por cerca de 10 milhões de dólares. Na Inglaterra os conteúdos da ESPN America foram movidos para a ESPN UK. Na Alemanha, por sua vez, os direitos de transmissão originalmente pertencentes à ESPN America e/ou Classic foram repassados para a Sports 1 US.

O forte da ESPN America eram, claro está, os próprios desportos americanos. Conquanto a marca fosse forte, a competição também o era. Em Portugal, por exemplo, a Sport TV cobre o basquetebol da NBA e o futebol americano da NFL com a temporada regular e a exclusividade na transmissão de sua final, o Super Bowl (isso sem contar as corridas da Nascar). Competir com um gigante como a Sport TV acabou por ser demais para a ESPN America, que muitas vezes acabou se tornando uma retransmissora de conteúdo original da ESPN dos Estados Unidos (como o mediático programa de debates First Take ou o SportsCenter). Só isto não bastou para cativar o público.

Como a marca acabava por não ser suficientemente rentável quando era avaliado o custo-benefício do investimento, a matriz dos Estados Unidos acabou por decidir terminar as operações na Europa – cujos canais desportivos agora ficam descentralizados. Há polos de atuação, como a Sky Sports no Reino Unido ou a própria Sport TV em Portugal. Todavia, nada centralizado e continental como a ESPN America prometia ser.