Desde 24 de março, e em cada domingo, o Espalha-Factos tem uma nova iniciativa. Depois de, com o A Recordar, termos relembrado grandes atores e atrizes que não viram o seu talento reconhecido (ou apenas tardiamente tal aconteceu) ou caíram no esquecimento, desta vez iremos destacar alguns dos nomes mais Queridos de Hollywood, numa rubrica com o mesmo título.

Grace Patricia Kelly também conhecida por Princesa Grace do Mónaco nasceu a 12 de novembro de 1929, na Filadélfia e faleceu a 14 de setembro de 1982, no Mónaco, num trágico acidente rodoviário.

Os pais de Grace, Jack Kelly, campeão olímpico de remo, e Margaret Katherine Maier, treinadora, estavam ligados ao desporto. No entanto, apesar dos seus pais não estarem relacionados com as artes cénicas, os seus tios paternos Walter Kelly, que ficou conhecido pela participação em The Virginia Judge, em 1935, e George Kelly, que era dramaturgo, tiveram influência na vontade de ser atriz da Princesa do Mónaco.

Grace estudou na Ravenhill Academy, e terminou os estudos na Stevens School, na Pensilvânia, local onde despertou definitivamente para o mundo do teatro. Mesmo durante a infância Grace Kelly foi sempre muito pró-ativa. Fazia as suas próprias peças de teatro, destacando-se dos colegas nessa área. No entanto, o mesmo não acontecia com a Matemática o que a impediu de entrar Bennington College. Essa foi a altura ideal para Grace Kelly se mudar para Nova Iorque para estudar teatro na Academia Americana de Artes Dramáticas. Apesar das turmas já estarem concluídas para aquele ano, Grace, com a ajuda do se tio George, consegui entrar na escola e, para pagar os estudos, a princesa do Mónaco trabalhava como modelo. Em Nova Iorque, ficou a viver no Barbizon Hotel for Women, um estabelecimento para raparigas de famílias endinheiradas.

Entre as diversas peças de teatro que fez, um das primeiras e mais importantes foi The Father de August Strindberg, nos teatros da Broadway. Aos 19 anos, acabou a formação na Academia Americana de Artes Dramáticas com a peça The Philadelphia Story.

A televisão também fez parte da carreira de Grace, aliás, foi este meio de comunicação que fez com que o produtor Delbert Mann a convidasse para a produção televisiva Bethel Merriday, que seria exibida ao vivo nos EUA. O sucesso televisivo levou-a para o cinema. Começou com papéis de pouco destaque, como em Fourteen Hours, até conseguir papéis principais como aconteceu no filme High Noon. Os trabalhos em cinema e televisão não paravam de aumentar. O mesmo não acontecia com o teatro, os críticos diziam que a voz de Grace não tinha a força necessária.

Um dos acontecimentos mais importantes da carreira da atriz mais bonita de Hollywood foi a participação de destaque no filme High Noon, que lhe trouxe um contrato de sete anos com a MGM e um salário de oitocentos e cinquenta dólares por semana. O sucesso parecia ter-se apegado a Grace, pois logo na sua primeira produção, em Mogambo, a jovem atriz recebe o Globo de Ouro na categoria Melhor Atriz Secundária, assim como a nomeação para o Oscar.

Na televisão, Grace Kelly, também, apresentou o programa The Way of an Eagle, ao lado de Jean- Pierre Aumont. Contudo, o ator teve de abandonar o projeto para integrar o elenco da peça de teatro Dial M for Murder. A peça foi adaptada para o cinema, pelo realizador Alfred Hitchcock, em 1954, e Grace acabou por ser a protagonista do filme. O sucesso foi notório, passando a atriz a ser denominada pela imprensa como “a musa de Hitchcock”. Em Dial M for Murder, a atriz foi indicada ao BAFTA na categoria Melhor Atriz Estrangeira. No mesmo ano, com o filme The Country Girl ganhou o Oscar na categoria de Melhor Atriz, juntamente com o Globo de Ouro na categoria de Melhor Atriz em filme dramático. Com o filme Rear Window, foi premida com os prémios NYFCC e NBR na categoria de Melhor Atriz.

Para além dos prémios e das nomeações, Grace representou ainda em outros filmes como Green Fire e The Bridges at Toko-Ri (1954), The Swan (1956) ou Hight Society, no qual Grace interpreta a canção True Love que foi nomeada ao Oscar na categoria de Melhor Canção Original.

Grace sempre foi alvo fácil das revistas cor-de-rosa, devido aos vários relacionamentos amorosos que teve, muitos deles com personalidades mediáticas como os atores Ray Milland (que era casado) e Clark Gable.

Grace Kelly conheceu o Príncipe Rainier Louis em 1955 e depois de um pedido de casamento num jantar na casa real, Grace torna-se Princesa Grace do Mónaco no ano seguinte. Nos dias 18 e 19 de abril, respetivamente, decorreram o casamento civil e a cerimónia religiosa.

Os príncipes do Mónaco tiveram três filhos, Carolina Margarida (1957), Albert Alexandre (1958) e Stéphanie Marie (1965).

Como já foi dito anteriormente a princesa do Mónaco faleceu devido a um derrame cerebral, após um trágico acidente de automóvel. O seu funeral foi um grande e triste acontecimento mediático, a que assistiram pela televisão cerca de 30 milhões de pessoas.

Em homenagem à sua princesa, o Príncipe Rainier Louis mandou construir um monumento localizado no final do rio Schuylkill. Após a morte de Grace foi, também, fundada a The Princess Grace Foundation – USA, para dar continuidade ao trabalho da princesa em vida, que fazia de tudo para ajudar os novos artistas, quer do mundo da dança, teatro ou outro tipo de arte.

A beleza de Grace Kelly perpetua-se até aos dias de hoje, a Princesa do Mónaco ou a atriz de Hollywood mais bonita de todos os tempos mantém-se bem viva. Como prova disto mesmo, basta ouvir as diversas músicas inspiradas na princesa ou mesmo lembrar a estrela que a atriz Grace Kelly ganhou no passeio da fama de Hollywood.