Rufusdestaque-128

Rufus Wainwright aqueceu os Jardins Marquês de Pombal no EDP Cool Jazz

Rufus Wainwright, mais um dos nomes talentosos inseridos no cartaz da 10ª edição do EDP Cool Jazz Fest,  apresentou-se a solo e veio aquecer uma noite bastante fria que se fazia sentir nos Jardins Marquês de Pombal, em Oeiras.

A primeira parte coube à banda Ala dos Namorados, que comemora 20 anos de carreira. Foi um concerto calmo, que só “agarrou” o público com a interpretação dos temas Caçador de Sois e Até ao fim do Mundo.


Rufus Wainwright apresenta-se em palco, um pouco depois das 22h30, com uma calorosa recepção da parte do publico.
Estava uma noite bastante fria mas Rufus encheu de alma e intensidade a noite, com a sua maravilhosa voz, piano e guitarra. Considerado por muitos um dos melhores compositores e interpretes da música canadiana e norte-americana, precisou de muito pouco para conquistar o público que o seguia com a máxima atenção.
Apresentou-se em palco com um sorriso rasgado, sentou-se ao piano e abriu a noite com Gey Gardens do álbum Poses. Este álbum foi predominante durante todo o espectáculo, embora também tenha percorrido outros álbuns.
Rufus cumprimenta o público “Good evening. How are you?” Diz ainda que se levantou as 05h00 da manhã para estar ali e, que por isso, era como um sonho e que era demasiado lindo. Love affair, segundo tema da noite e Want two ainda ao piano. Todos os temas foram interpretados de uma forma irrepreensível e sempre cheios de emoção. Relembrou amigos como Jeff Buckley, a mãe e a cantora Kate Mcgarrigle. Segue-se o tema Matinne idol onde o cantor recorda o actor River Phoenix falecido com 23 anos.
I’ve turned 40 some days ago (22 de Julho), but i feel much younger” fala ao público da boca de cena. Os temas seguintes são interpretados com guitarra acústica: Out of the game e Jericho, do seu recente trabalho. Rebel Prince vem, de seguida. Refere ainda que andou por França, que a noite não está assim tão fria, mas sim, perfeita. The art teacher faz o regresso ao piano.

Momento alto da noite foi quando Rufus conta que conheceu Jeff Buckley e que, no início, não gostava dele mas que depois uns anos mais tarde voltaram a encontrar-se e ficaram amigos mas, depois, ele faleceu afogado no Mississipi. Rufus compôs uma canção sobre Jeff, aos primeiros acordes de Memphis Skyline a emoção sentida pelo público foi geral. Rufus cantou de uma forma emocionada de entrega total e diz que Hallelujah de Buckley só pode ser comparada a uma Ophelia. Segue-se California, que tem a ajuda da sua guitarra Hello kitty comprada numa das suas passagens pela Coreia, logo a seguir vem o tema Want tocado com a guitarra acústica.
E segue com os temas Going to a Town e Milbrook.
Outro momento emocionante da noite acontece com Zebulon, este tema fala do período em que a mãe esteve doente. O Público aplaude de pé e Rufus sorri.
Última apresentação da noite é Cigarrettes and Chocolate Milk. Rufus agradece a simpatia da plateia, dizendo que é sempre um prazer voltar ao nosso país.
O cantor regressa para um pequeno encore com Montauk. O concerto terminou já passava da meia-noite. A noite fria tornou-se emotivamente quente.

Mais Artigos
Tom Hanks e Rita Wilson
Tom Hanks e Rita Wilson já voltaram aos EUA