praia-livros

20 livros para o verão

Com a chegada do verão em força, quem não gosta de levar um livro para a praia para devorar nas horas quentes de sol? Ou mesmo para uma esplanada? E quem não aproveita esta estação do ano para pôr a leitura em dia e descobrir novos autores, personagens e histórias?

Foi a pensar nisso que a equipa do Espalha Factos resolveu apresentar 20 sugestões de livros, nacionais e internacionais, que podes ler durante os dias de maior calor. (A ordem dos livros foi totalmente aleatória)

1. Orgulho e Preconceito, Jane Austen

2013.04.Orgulho e Preconceito

 Publicado pela primeira vez em 1813, Orgulho e Preconceito segue as irmãs Bennet e, em particular, Elizabeth, a mais independente, sarcástica e corajosa das cinco. Ao conhecer Mr. Darcy, a primeira impressão é a de homem orgulhoso, construída a partir de relatos de outrem que vão provocando nela um certo ódio por Darcy. Aos poucos, no entanto, Elizabeth vai-se apercebendo do seu bom carácter, bem como da sua atração por aquele homem. Enquanto a paixão desabrocha no centro das normas, contingências e da própria cultura da pequena burguesia inglesa do século XIX, Jane Austen vai também criticando, à sua volta, a mesquinhez, o interesse os preconceitos de classe da sociedade em que viveu. Ainda hoje a expressão de abertura é das mais conhecidas de sempre: “É uma verdade universalmente reconhecida que um homem solteiro na posse de uma bela fortuna necessita de uma esposa.”

 

meu-pe-de-laranja-lima

2. Meu Pé de Laranja Lima, José Mauro de Vasconcelos

Zezé é um menino de cinco anos que faz parte de uma família pobre e numerosa. Sem muita atenção por parte dos pais e dos irmãos, dedica-se a explorar o que estava à sua volta. É ao mudar de casa que Zezé encontra no seu novo quintal uma árvore pequena pela qual, inicialmente, não nutre qualquer simpatia. No entanto, é ao sentar-se junto dela que se apercebe que este pé de laranja lima é capaz de conversar consigo, entender os seus problemas, tornando-se, pois, um grande amigo e confidente. Publicado em 1970, Meu Pé de Laranja Lima já foi adaptado para o grande ecrã e é considerado um dos grandes êxitos do autor brasileiro José Mauro de Vasconcelos.

3. O Paraíso na Outra Esquina, Mário Vargas Llosa

9788575810552_1269710720

 O romance de 2003 retrata a história de Flora Tristán e de Paul Gauguin. Enquanto Flora luta pelos direitos das mulheres e dos operários, o seu neto Paul apaixona-se pelo mundo das artes, mais especificamente pela pintura, partindo, assim, para o Tahiti, à procura de novos desafios. As diferenças entre ambos são bem visíveis. Para Paul a questão da sexualidade é fulcral para a sua criatividade, mas para Flora esta é apenas uma questão de realçar o domínio masculino. Que têm estas duas vidas em comum? Ao longo do livro, Mário Vargas Llosa mostra as disparidades entre as duas personagens que, apesar disso, têm algo em comum: conhecer o paraíso e perceber qual é a melhor forma que os seres humanos têm para viver a felicidade plena.

 

4. Chocolate, Joanne Harris 
Chocolat
Depois de vários anos a viver ao sabor do vento, Vianne Rocher procura estabilidade e chega a Lansquenet-sous-Tannes numa terça-feira de Carnaval. Naquela pequena província, os habitantes são pessoas tristes, melancólicas e não são de muitas conversas. Por essa mesma razão esta pequena aldeia parece a Vianne a oportunidade ideal para dar a conhecer o seu trabalho: abrir uma chocolataria. Ao longo do livro, Joanne Harris pretende mostrar os pequenos prazeres da vida, onde também é preciso conquistar a confiança dos habitantes da aldeia que, com uma mentalidade fechada, não aceitam de bom grado as pequenas alterações que vão decorrendo na pequena Lansquenet-sous-Tannes.

 

5. A Filha do Papa, Luís Miguel Rocha

a-filha-do-papa

A Filha do Papa é já o quarto livro da “fórmula Vaticano” que tem dado melhor a conhecer aos portugueses e ao mundo o autor Luís Miguel Rocha. Segue, mais uma vez, as aventuras de Sarah e Rafael pelos meandros da Igreja Católica, desta vez debruçado sobre um dos maiores segredos do Vaticano: a filha do Papa Pio XII. Com a morte de um jovem Padre, Niklas, uma longa e conturbada madrugada tem início, com a protecção deste segredo como a principal missão do padre Rafael, mas também ele dividido entre o seu cumprimento e a protecção dos que ama. Debaixo do thriller atual, também a história de amor entre o Papa e a freira Pasqualina constroem a obra, lançada este ano. Uma aventura romanceada para ler refletir durante o verão. Clica aqui para leres a crítica ao livro.

 

6. A Volta do Mundo em 80 Dias, Júlio Verne

9789722520942

O carácter aventureiro e visionário de Júlio Verne refletem-se bem numa das suas obras-primas, A Volta ao Mundo em 80 Dias. Uma aposta com os colegas do Reform Club leva Phileas Fogg, um britânico rico e metódico, a lançar-se numa volta ao mundo acompanhado apenas pelo seu novo empregado Passepartout. A aposta estipulava que teria de o fazer exatamente em 80 dias, e ao longo da viagem os dois companheiros conhecem pessoas, culturas e lugares muito diferentes, viajam em diversos meios de transporte e atravessam muitas aventuras até ao regresso a Londres. A ficção científica, o humor e o romance unem-se nesta aventura intemporal publicada na segunda metade do século XIX.

 

7. O Diário da Nossa Paixão, Nicholas Sparks

o-diario-da-nossa-paixao-nicholas-sparks

Nicholas Sparks pode ser o cliché romântico intemporal, mas não pode deixar de ser referido e apreciado nesta época de verão. O romance de Noah e Allie, datado de 1996, é já uma das histórias de amor mais badaladas dos amantes de romances literários. A ‘paixão’ retratada no diário é a de um jovem casal separado pela riqueza dela e a pobreza dele, bem como pela distância e pela guerra. 14 anos depois, quando está prestes a casar com Lon, um advogado que os pais sempre aprovaram para si, Allie viaja até Raleigh para rever Noah e a casa que este construiu para eles, como prometera, e fica dividida entre o ouvir o coração e o seguir com a sua vida atual. O Diário da Nossa Paixão é o primeiro e um dos mais reconhecidos romances do autor norte-americano.

 

8. Os Ingredientes do Amor, Nicky Pellegrino

Ingredientes do Amor

Com Nicky Pellegrino sentimo-nos sempre no verão, em Itália, apaixonados e rodeados de boa comida. Os Ingredientes do Amor, que inclui algumas das personagens de A Filha do Pescador, também da autora, é a história de Alice, uma jovem inglesa que trabalha como cozinheira em Londres e procura um novo rumo para a sua vida. Mas é também a história de Babetta, que vive de forma solitária no sul de Itália, a cuidar da mansão de Villa Rosa, que Alice conhece no verão que viaja até lá. As duas mulheres aprendem a “receita para a vida” através da sua amizade, da partilha de conhecimentos e de uma temporada que muda para sempre as suas vidas, enquanto o romance e os cozinhados nos fazem chorar por mais. O romance de 2010 é um dos mais conhecidos de Pellegrino, além de Caffé Amore e A Noiva Italiana.

 

9. Era bom que trocássemos umas ideias sobre o assunto, Mário de Carvalho

Mario Carvalho Este livro de Mário de Carvalho foi considerado pelo Jornal Público como “o romance mais divertido da fição portuguesa contemporânea”. Uma viagem pelas peripécias do dia-a-dia de, Jorge Matos, divorciado e que mantém uma relação com a filha através de cartas, e Joel Strosse, cinquenta anos que quer entrar para o PCP. Vítimas do destino que eles próprios traçaram e no qual se acomodaram, Mário de Carvalho parte, através destas duas personagens, para uma história de uma geração portuguesa amargurada, que se tornou adulta na Revolução dos Cravos. É com humor e sarcasmo que o autor vai criticar o panorama desta sociedade, que luta pela busca do posicionamento no mundo, pela identidade nacional lusa, pela mundialização e pela globalização. Vê aqui a entrevista que o EF fez ao autor.

 

10. A Viagem do Elefante, José Saramago capa_elefante_blog

Este romance de Saramago já tinha sido idealizado numa viagem que o autor fez a Salzburgo, na Áustria, e acabou por ir a um restaurante chamado O Elefante. Grande parte da narrativa baseia-se em factos históricos e, através da viagem de Salomão, um elefante indiano que fora oferecido por D. João III ao seu primo, o arquiduque Maximiliano da Áustria, Saramago cria uma história de fição que passa pelos longos caminhos entre Lisboa e Viena. A decorrer no século XVI, é com o humor e ironia, característicos dos romances de Saramago, que o Nobel da Literatura aborda questões de natureza humana neste pequeno itinerário e realça as extravagâncias de um rei e de um arquiduque. A Viagem do Elefante foi o primeiro livro de José Saramago, depois do relato autobiográfico Pequenas Memórias.

 

11. Boneca de Luxo, Truman Capote

dq-boneca_de_luxo

A Boneca de Luxo de Truman Capote não é propriamente a Audrey Hepburn por quem o vizinho escritor se apaixona, como no filme homónimo. É sim uma Holly Golightly de 18/19 anos, que de rapariguinha de província se transforma em socialite novaiorquina, convivendo com homens ricos, que a levam a restaurantes chiques e lhe oferecem presentes caros. O narrador, a quem ela chama Fred por ser parecido com o irmão, conhece-a em 1943 e fica imediatamente fascinado pelo seu carácter e a sua atitude perante a vida, que procura dar a conhecer ao leitor através do seu relato. O romance é a própria história dela, dos seus dramas e questões acerca da vida, numa novela publicada em 1958 pelo autor de A Sangue Frio.

 

12. A Sombra do Vento, Carlos Ruiz Záfona_sombra_do_vento

A Sombra do Vento, de 2001, é mais uma aventura misteriosa e romanceada para este verão, pelas mãos do espanhol Carlos Ruiz Záfon. Passada em 1945, em Barcelona, segue o jovem de 11 anos Daniel Sempere, que é levado pelo pai a conhecer o Cemitério dos Livros Esquecidos. Trata-se de uma biblioteca secreta e labiríntica onde são depositadas as obras abandonadas pelo mundo, que ali ficam à espera que alguém as descubra. Daniel encontra um exemplar de A Sombra do Vento, de Julián Carax, e fica fascinado pelo livro, ao ponto de descobrir que alguém está a queimar todas as suas cópias. Com o dever de o proteger, o jovem embarca numa aventura pela cidade, pelo tempo e pela própria imaginação, que cativará certamente todos os amantes de livros.

 

13. Into the WildJon Krakauer

wild

A história de Christopher McCandless é hoje largamente conhecida por todo o mundo, mas foi o livro do jornalista Jon Krakauer, de 1996, que primeiro reconstruiu o caso verídico do jovem que abandonou a civilização e, sozinho, viajou pelos Estados Unidos assumindo um novo estilo de vida e o nome Alexander Supertramp. Revoltado contra o materialismo e as mentalidades da sociedade, McCandless partiu em busca de experiências verdadeiramente enriquecedoras, através do contacto puro com a natureza. A aventura, iniciada em abril de 1992, terminou em agosto, quando foi encontrado sem vida num autocarro abandonado nas montanhas. Krakauer investigou toda a sua jornada, falou com as pessoas com quem o jovem se foi cruzando pelo caminho e compreendeu os motivos que o levaram a partir para o desconhecido. O Lado Selvagem foi adaptado ao cinema em 2007 por Sean Penn.

 

14. O Filho de Mil Homens, Valter Hugo Mãe05.-capa-o-filho-de-mil-homens-379x600

É quando chega aos 40 anos que Crisóstomo se apercebe da falta que um filho faz. Dessa falta de ter um filho, esta personagem começa a inventar uma família que tem os mesmos problemas e desfuncionalidades que as famílias normais. Através das histórias de Crisóstomo, Camilo, Matilde, António e Isaura que Valter Hugo Mãe foca temas sensíveis e pertinentes, muitas vezes em debate na sociedade, como o amor, a paternidade, a vida humana e a família. Publicado em 2011, O Filho de Mil Homens é um dos livros mais conhecidos do escritor português.

 

15. Marley e Eu, John GroganMarley_&_Me_capa

A Vida e o Amor ao Lado do Pior Cão do Mundo é uma história contada na primeira pessoa pelo próprio autor, John Grogan, que relata os treze anos em que o cão Marley fez parte da sua vida. O labrador chega à sua casa e da esposa Jenny como um cachorro brincalhão e essa sua veia manteve-se durante muitos anos, até Marley ficar doente e acabar por falecer, depois de partilhar alegrias e sofrimentos com a família. Grogan começou por escrever uma coluna no jornal em que trabalhava sobre as aventuras de Marley e, dado o sucesso que teve, decidiu homenageá-lo escrevendo um livro. Com humor e algumas lágrimas, este livro de 2005 é mais um que merece destaque nas leituras de verão do EF.

 

16. Debaixo de algum céu, Nuno Camarneirodebaixo-de-algum-cc3a9u

A falta de música, de paz, de fé e de calor faz com que várias personagens sejam descritas como fechadas sobre si mesmas. No prédio ao pé da praia, as janelas são, também, viradas para dentro e cada um vive isolado: o reformado que constrói loucuras na cave, uma viúva com o gato, um casal e um bebé, um homem que inventa futuros. Estas são as realidades de Nuno Camarneiro. A decorrer numa semana, entre o fim de um ano e o começo de outro, toda a narrativa acaba por mudar quando uma tempestade deixa o prédio sem luz, deixando a vida de todas estas personagens em suspenso. Debaixo de algum céu deu ao autor o Prémio Leya 2012 e foi descrito por uma crítica no Diário de Notícias como “uma espécie de purgatório suspenso no tempo”.

 

17. A Cidade e as Serras, Eça de Queirósa-cidade-e-as-serras

A Cidade e as Serras é o último livro do autor português Eça de Queirós, publicado em 1901, já depois da sua morte, que representa a sua conciliação com o país após uma vida literária dedicada à crítica da sociedade. Relata a travessia de Jacinto de Tormes, fã da civilização e do progresso, da cidade para as serras, um espaço rural, primitivo, longe dos bens e da tecnologia da vida urbana e moderna. Ao perceber como é rica a vida na natureza, Jacinto reencontra-se consigo mesmo e encontra a felicidade nas pequenas coisas da vida. Eça é um dos grandes autores portugueses do século XIX e não podia ficar de fora desta lista, destacando-se com este romance, contado pelo narrador Zé Fernandes.

 

18. Uma Casa de Família, Natasha Solomon 9789892321561

Estamos em 1938, em plena Segunda Guerra Mundial. Com a ameaça nazi a fazer-se sentir um pouco por toda a Europa, a família Laudau decide fugir de Viena, para garantirem a sua segurança. No entanto, não podem partir todos juntos. A filha mais nova, Elise, vai para Tyneford, Inglaterra, onde começa a trabalhar como criada numa casa de uma família aristocrática. A falta da mãe e a obrigação de deixar para trás uma vida privilegiada, fazem com que Elise tenha alguns problemas de adaptação à nova vida. É com a chegada de Kit, o filho do dono da casa, que Elise vai desafiar as regras da hierarquia inglesa e as convenções da aristocracia.

 

19. Época de AcasalamentoP. G. Wodehouse9789727952090

Esta é a história de Wooster e Jeeves, cavalheiro e mordomo, que vivem num mundo repleto de raparigas altivas, tias com o nariz empinado, parentes de todos os feitios, de rapazes com personalidades complexas. As duas personagens principais de Wodehouse são, pois, os pilares dos outros intérpretes que vão surgindo na história. Este romance de 1949 é um dos mais conhecidos do autor inglês e que, por isso, foi uma das escolhas da equipa do EF para figurar nesta lista dos livros de verão.

 

 

20. O Ano Sabático, João Tordo9789722051491

Acostumado à vida de músico de jazz, Hugo decide regressar a Lisboa para tirar um ano sabático e encontrar estabilidade junto da família. Nas primeiras noites da sua estadia na capital, assiste a um concerto de Luís Stockman que acaba por se tornar num grande pesadelo: Stockman toca um tema que Hugo tem na cabeça há vários anos. Esta história de João Tordo, publicada este ano, faz com que o leitor se envolva na narrativa que, de repente, se enche de mistérios e de memórias.

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Júlia Pinheiro
Júlia Pinheiro está em isolamento e já tem substituta