Desde 24 de março, e em cada domingo, o Espalha-Factos tem uma nova iniciativa. Depois de, com o A Recordar, termos relembrado grandes atores e atrizes que não viram o seu talento reconhecido (ou apenas tardiamente tal aconteceu) ou caíram no esquecimento, desta vez iremos destacar algumas dos nomes mais Queridos de Hollywood, numa rubrica com o mesmo título.

Meg Ryan pode não ter ganho ainda nenhum Oscar (e o provável é nem vir a acontecer) mas é uma das atrizes que já nos habituamos a ver no grande ecrã, em filmes de tom ligeiro ou dramas. De inconfundível loiro ondulado e olhos bem azuis, Meg sobressai com a sua personalidade efervescente e descontraída, surgindo como a ‘namoradinha’ dos EUA.

Nasceu a 19 de novembro de 1961, em Connecticut, sob o nome de Margaret Mary Emily Anne Hyra, adotando mais tarde Meg Ryan como nome artístico. O seu pai, Harry Hyra, foi professor e a sua mãe, Susan Hyra, atriz e diretora de casting.

as the world

Meg Ryan em As The World Turns

Tal como muitas outras atrizes, Ryan não imaginaria que o seu futuro passaria pelas salas de cinema, uma vez que frequentava Jornalismo na Universidade de Nova Iorque quando entrou no mundo dos anúncios de televisão para ganhar algum dinheiro. A atriz de sorriso meigo acabou por não finalizar os estudos e dedicou-se de corpo e alma à representação.

Estreou-se diante das câmaras com o filme Ricas e Famosas (1981), de George Cukor, desempenhando Debby Blake, de 18 anos. Nos anos seguintes surgiria também em várias séries televisivas, como As the World Turns (1982) e Wildside (1985), contribuindo para a então recente popularidade da atriz.

A sua carreira acabaria por dividir-se entre séries televisivas e o grande ecrã, habituando-nos principalmente a comédias leves e românticas. Embora parecendo demasiado ingénua para ser uma sex symbol, Meg Ryan conquistou os EUA pelo seu carisma e talento, bem cimentado em alguns filmes êxitos de bilheteira como Um Amor Inevitável (1989), com a mítica cena do restaurante onde finge um orgasmo, ou Cidade dos Anjos (1998), com Nicolas Cage.

city

Ao longo do tempo, a atriz viria a focar-se inteiramente no cinema, participando em outros êxitos comerciais como Top Gun (1986) ou Innerspace (1987), o filme de ficção científica e comédia de Joe Dante, onde Meg conheceu aquele que viria a ser o seu futuro marido, o ator Dennis Quaid, pelo menos até 2001. Sobre a sua vida amorosa, Ryan conheceu ainda Russel Crowe na rodagem do filme Prova de Vida (2000), o que viria a contribuir para o seu divórcio com Quaid. Contudo, a relação com Crowe também não viria a durar e, em 2011, inicia uma relação com músico John Mellencamp.

Numa tentativa de escapar do estereótipo das comédias românticas, Meg Ryan protagoniza o drama de Quando Um Homem Ama Uma Mulher (1994), ao lado de Andy Garcia. Aqui, Ryan interpreta uma mãe e esposa com problemas alcoólicos que podem destruir a sua família, interpretação que lhe valeu uma nomeação de Melhor Papel Feminino para os MTV Movie Awards e Screen Actors Guild Awards.

when a man

Quando Um Homem Ama Uma Mulher

A atriz, que até agora parece não envelhecer com o passar dos anos, constou da lista das 50 Pessoas Mais Bonitas do Mundo, pela People Magazine,  em 1994, e, no ano seguinte, protagonizou outra reconhecida comédia romântica, French Kiss (1995), de Lawrence Kasdan e filmada em França, tendo sido recebida com boas críticas e aumentando a sua popularidade.

Em 1998, a loira de cabelo curto protagoniza Você Tem Uma Mensagem, ao lado de Tom Hanks. Mais uma comédia romântica que recebe excelentes críticas, leva Ryan à sua terceira nomeação para os Golden Globe e junta, pela segunda vez, os dois atores. Tendo contracenado juntos no aclamado Sleepless in Seattle (1993), a sua química no ecrã foi assunto de conversa nos media e no mundo, mas não deixou de ser apenas a nível profissional.

you've got

Desde 2001, a ‘querida de Hollywood’ protagonizou outras comédias e dramas como Kate & Leopold (2001), Atração Perigosa (2003) ou Mulheres! (2008), que se foca nas vidas de um grupo de mulheres em Manhattan.

the women

Mulheres!

No que toca a prémios e nomeações, a atriz pode contar com um historial de 9 prémios e 19 nomeações. Venceu, por exemplo, em 1990 e 1994, o American Comedy Awards com Um Amor Inevitável e Sleepless in Seattle para a Atriz Mais Cómica. Esteve nomeada por três vezes nos Golden Globes em 1990, 1994 e 1999, nos mesmos dois filmes e Você Tem Uma Mensagem.

Entre filmagens e nomeações, em 2006 Meg Ryan viria a adotar uma criança chinesa de 14 meses, Daisy True, apesar de já ter um filho do seu casamento com Quaid. A loira de olhos meigos conquistou um lugar nos corações norte-americanos e fora deles, tendo ainda sido considerada como a “atual alma da comédia romântica“, em 1995 pela Time.