O canal Discovery foi processado por homicídio involuntário devido a um incidente ocorrido em 2002 que matou uma mulher, Teddy Flanell. Na gravação do episódio piloto da série Brothers in Arms, o Discovery autorizou a utilização de pirotecnia, que sofreu uma avaria no sistema e acabou por atingir a vítima.

Flanell morreu de forma instantânea com a detonação de uma bomba de fumo utilizada na gravação da sequência inicial do episódio. Onze anos depois do acidente, a família procura punir os responsáveis. O processo foi apresentado, no Colorado, pelo marido da vítima, Melvin Bernstein, que também estava presente durante as gravações.

A Discovery Communications é acusada de não ter recorrido, na altura, a um fabricante autorizado para os dispositivos pirotécnicos, bem como de não ter obtido as permissões necessárias a utilização dos mesmos. O objetivo é levar a empresa a uma audiência com júri para conseguir uma indemnização de, no mínimo, 75 mil dólares (57 mil euros). Também acusada de negligência neste mesmo caso encontra-se a Anthropic Productions.

Nos últimos tempos, o Discovery tem sido alvo de outras questões judiciais, como uma acusação de homicídio involuntário, há duas semanas, pela mãe de Darren Rydstrom. O operador de câmara faleceu em fevereiro num acidente de helicóptero, enquanto gravava um reality show de temática militar para a cadeia.