d

MNAA recebe dez mil visitantes na primeira semana da exposição A Encomenda Prodigiosa

Os números são tão prodigiosos quanto o que motiva a exposição. Em apenas uma semana, a mostra sobre a construção da Basílica Patriarcal, em Lisboa, levou ao Museu Nacional de Arte Antiga 10.325 visitantes, segundo fonte do museu.

A Encomenda Prodigiosa. Da Patriarcal à Capela Real de S, João Baptista evoca as grandes encomendas religiosas de D. João V no decorrer dos anos áureos do seu reinado. O projeto da Basílica Patriarcal, edificada junto ao antigo Paço da Ribeira (atual Páteo da Galé) e que sucumbiu ao terramoto de 1755, e a Capela Real de São João Batista são os grandes destaques da mostra.

O diretor do museu é também o comissário da exposição, juntamente com a investigadora Teresa Vale. António Filipe Pimentel, reuniu cerca de 200 peças, oriundas de diversos países e presentes em coleções públicas e particulares. 

Constam obras da Biblioteca Nazionale Universitaria e do Palazzo Madama-Museo Civico D´Arte Antica, de Turim, do Museu La Certosadi San Martino, em Nápoles e do Szépmuvészeti Múzeum, de Budapeste, capital húngara.

Pela primeira vez mostrados em Portugal, integram o percurso expositivo os esquissos de Luigi Vanvitelli para o Palácio Real da Ribeira (1717-18), de Filippo Juvarra, para um farol e para o Palácio Patriarcal de Lisboa (datado de 1719) e o projeto de Salvi e Vanvitelli para a Capela de São João Batista.

O reinado de D. João V, que contava 18 anos quando subiu ao trono, permitiu às artes portuguesas um período de expansão, produto do ouro e dos diamantes do Brasil e das rotas comerciais entre África e o Oriente. Enquadrado no auge do Absolutismo, o déspota português empreendeu projetos de grande escala, como o Palácio-Convento de Mafra ou o Aqueduto das Águas Livres, em Lisboa. A sua Basílica Patriarcal, de 1716, foi celebrada por todo o território europeu, ecoando como uma das mais magníficas construções religiosas barrocas.

Nicola Salvi e Luigi Vanvitelli tiveram a seu cargo o projeto da Capela de São João Batista que, resistindo ao incêncio que aniquilou a Patriarcal após o Terramoto, foi instalada na Igreja de São Roque. Esta última obra foi recentemente recuperada e reaberta ao público.

A mostra, que foi aberta ao público no passado dia 27 de Maio, prolonga-se até ao final de Setembro. Conta ainda com uma extensão na Igreja de São Roque, onde se encontram em exibição os paramentos e objetos da eucaristia encomendados pelo megolómano monarca português.

 

Mais Artigos
Pedro Mafama
À Escuta. Pedro Mafama e Fogo Fogo são os destaques da semana