tom_hanks

Queridos de Hollywood: Tom Hanks

Desde 24 de março, e em cada domingo, o Espalha-Factos tem uma nova iniciativa. Depois de, com o A Recordar, termos relembrado grandes atores e atrizes que não viram o seu talento reconhecido (ou apenas tardiamente tal aconteceu) ou caíram no esquecimento, desta vez iremos destacar alguns dos nomes mais Queridos de Hollywood, numa rubrica com o mesmo título.

Nesta semana, vamos falar de um ator que começou a sua carreia dando pequenos passos no teatro e, eventualmente, passando do palco para o pequeno e depois grande ecrã. Estamos a falar do ator, produtor e realizador, Tom Hanks.

tom2

Tom Hanks durante a sua adolescência

Thomas Jeffrey Hanks nasceu a 9 de julho de 1956 em Concord na Califórnia, no seio de uma família disfuncional. O seu pai, Amos Mefford Hanks (chefe de cozinha) e a sua mãe Janet Marylyn (filha de portugueses, e empregada num hospital) divorciaram-se em 1960. Tom mudou-se com o seu pai para Reno, Nevada juntamente com os seus três irmãos Sandra, Larry e Jim. Após uma série de mudanças, a família assentou em Oakland, Califórnia. Tom estudou no liceu Skyline durante o secundário, onde entretinha os seus colegas com os seus talentos cómicos e participava em peças da escola. Quando ingressou na Universidade do Sacramento na Califórnia a sua carreira no mundo do espetáculo começou a ganhar asas ao atuar no teatro da academia. Em 1977, Hanks participou no Great Lakes Shakespeare Festival em Cleveland, Ohio, onde recebeu críticas positivas pelo seu desempenho na peça The Taming of the Shrew.

tomEsamantha

Tom com a sua primeira esposa Samantha

Pouco depois mudou-se para Nova Iorque, casando-se com Samantha Lewes, sua colega de faculdade e atriz teatral. Antes do casamento tiveram o seu primeiro filho Colin Hanks em 1978. A boda teve lugar em 1980, e dois anos depois nascia a segunda filha de Hanks, Elizabeth. Durante esse período de tempo, Tom teve a sua primeira oportunidade no mundo da televisão ao participar durante dois anos (de 1980-82) no sitcom da ABC Bosom Buddies, onde foi protagonista juntamente com Peter Scolari. Apesar de o programa ter sido cancelado após duas temporadas, a notoriedade que ganhara com a sua participação fora suficiente para que a sua carreira fosse crescendo progressivamente. A este sitcom seguiram-se as séries televisivas Taxi, Happy Days e Family Ties.

MV5BMTgyNjg0NzI4NF5BMl5BanBnXkFtZTcwMzE5OTQyMQ@@._V1_SY317_CR5,0,214,317_

A sua popularidade começou a disparar quando aceitou protagonizar a comédia romântica Splash. O seu colega de trabalho e amigo Ron Howard (que conhecera durante as filmagens de Family Ties) ofereceu-lhe a proposta para um papel que havia sido recusado por John Travolta, Bill Murray e Dudley Moore. O filme relata a história de um empresário que se apaixona por uma sereia (Daryl Hannah). Graças à sua participação num dos filmes mais bem-sucedidos de 1984, inúmeros papéis surgiram para Tom Hanks nos anos que se seguiram. Logo em 1986 interpretou David Basner em Nothing in Common. A personagem na película vive um momento difícil similar ao que o próprio ator tinha vivido após o divórcio dos seus pais.

Contudo o matrimónio com Samantha terminaria em divórcio em 1987, devido à personalidade extrovertida que Tom começava a ganhar, que começou a diferenciar-se da personalidade tímida que caracterizava a sua esposa. Anos mais tarde Samantha viria a morrer de cancro em março de 2002.

Tom+Rita+the+children+436k5rOvCVHl

Tom Hanks com Rita Wilson e um dos seus filhos

Em 1988, Tom Hanks casaria novamente desta vez com Rita Wilson, também atriz. Os dois tinham participado nas filmagens de Bosom Buddies e reencontraram-se nas filmagens de Volunteers. Dessa união, que ainda hoje perdura, resultaram dois filhos: Chester M. Hanks (mais conhecido como Chet Hanks) e Truman Theodore Hanks. Nesse mesmo ano destaca-se a participação de Tom no filme Big, que para além do lucro de 100 milhões de dólares, catapultou o ator para a sua primeira nomeação a um Oscar na categoria de Melhor Ator. Essa película tem uma das cenas mais famosas da década: a cena em que Hanks tocou a canção Heart and Soul num piano gigante juntamente com Robert Loggia. Vê a cena em baixo:

http://www.youtube.com/watch?v=0Yu62StlsMY

Após cinco anos a participar em películas de pouco sucesso Hanks voltaria a ter destaque devido à sua participação em Philadelphia (1993) em que interpreta um advogado homossexual que foi demitido de uma associação devido ao facto de ser seropositivo. No ano seguinte faria furor em Forrest Gump (1994), filme esse que relata a vida de um jovem, ao mesmo tempo que mostra uma visão do desenvolvimento da sociedade americana. Foi com estes dois trabalhos que, por dois anos consecutivos, ganhou o Oscar de Melhor Ator.

Em 1995, Tom voltaria a juntar-se a Ron Howard com Apollo 13, ganhando um prémio nos Screen Actors Guild Awards. Nesse mesmo ano interpretaria uma das personagens mais conhecidas da Pixar: O Xerife Woody de Toy Story (realizado por John Lasseter), rival de Buzz Lightyear, interpretado por Tim Allen. Este foi o primeiro filme a computador lançado para o cinema; na sua semana de estreia conseguiu somar cerca de 75 milhões de dólares. A este começo seguir-se-iam duas continuações: Toy Story 2 em 1999, e recentemente, em 2010, Toy Story 3 (que ganhou dois Oscars na categoria de Melhor Filme de Animação e Melhor Canção Original).

http://youtu.be/KYz2wyBy3kc

Foi em 1996 que Tom Hanks se lançou no cinema pela primeira vez como realizador: That Thing You Do! foi o primeiro filme que contou com a sua realização. Para além deste filme, três anos depois foi produtor executivo, co-argumentista e co-realizador da série From the Earth to the Moon da HBO. Em 2001 voltou a ser o responsável por outra das séries dessa mesma estação televisiva: Band of Brothers, na qual teve oportunidade de trabalhar com Steven Spielberg e de ter no elenco o seu filho Colin Hanks. Chegou inclusive a trabalhar como produtor num filme, em conjunto com a sua esposa Rita Wilson em 2007, intitulado My Big Fat Greek Wedding.

220px-Saving_Private_Ryan_poster

Band of Brothers não foi o primeiro trabalho que Tom Hanks fez com Spielberg: a primeira vez que os dois colaboraram foi em Saving Private Ryan (que se tornou num dos filmes mais aclamados dentro da temática da Segunda Guerra Mundial). A contracenar com Hanks estiveram Edward Burns, Matt Damon, Tom Sizemore e Vin Diesel. O ator ainda conseguiu ganhar um prémio inédito pela sua participação nesse filme: o Distinguished Public Service Award da parte da marinha norte-americana. Esta não seria a última vez que Hanks e Spielberg iriam trabalhar juntos.

Em 2000 com Cast Away foi nomeado novamente na categoria de Melhor Ator. O prémio acabaria por ser entregue a Russel Crowe (com Gladiator), o que foi visto como uma injustiça para muitos fãs de Tom. Dois anos depois para além de ter trabalhado com Sam Mendes (realizador de American Beauty) em Road to Perdition, voltou-se a aliar a Spielberg, desta vez contracenando com Leonadro Di Caprio em Catch Me If You Can, filme baseado na história verídica de Frank Abagnale Jr. (interpretado por Di Caprio). Hanks interpretou Carl Hanratty, que durante anos perseguiu Abagnale pelo crime de fraude de cheques. A relação de ambas as personagens oscilava entre a de gato e rato e amizade. Aqui está uma cena que resume a relação entre os dois:

No ano de 2004, Hanks participou em três filmes: The LadyKillers (realizado, escrito e produzido pelos irmãos Coen); The Terminal (trabalhando mais uma vez com Spielberg, e contracenando com Catherine Zeta-Jones) e The Polar Express (realizado por Robert Zemeckis). Após dois anos em que se concentrou no trabalho de produtor, Tom participou no controverso filme, baseado num dos best-sellers de Dan Brown: interpretou Robert Langdon em The Da Vinci Code (destacando-se também as presenças de Audrey Tautou, Ian McKellen, Alfred Molina, Jürgen Prochnow, Paul Bettany e Jean Reno). Três anos depois voltou a interpretar a mesma personagem em Angels & Demons.

http://youtu.be/zMba3fckhuQ

Um das suas próximas interpretações confirmadas será a do famoso animador Walt Disney em Saving Mr. Banks. Outros nomes como Emma Thompson e Colin Farrell irão contracenar com Hanks. O filme é realizado por John Lee Hancock, o guião escrito por Billy Ray e a produção estará a cargo da mesma equipa de The Social Network.

reg_1024.disneys.ls.111712_copy

Comparação entre Walt Disney e a sua interpretação por Tom

Após tamanho percurso não é de admirar que Tom Hanks seja um nome de referência para Hollywood. Tendo dado passos progressivos na sua carreira, conseguiu interpretações memoráveis. Uma grande parte do público feminino adora-o, não pelo seu visual, mas pela gentileza e cavalheirismo que o caracterizam. Convém mencionar que Hanks entrou para o Guiness por ter participado em sete filmes consecutivos que ultrapassaram a barreira dos cem milhões de dólares de receita. A sua estrela na Hollywood Walk of Fame localiza-se na 7030 Hollywood Boulevard. Com uma série de nomeações para os Oscars e de grandes hits de box-office, não há dúvidas que Tom Hanks é uma das caras marcantes do mundo do cinema e sem dúvida um dos Queridos de Hollywood.

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Cristina Ferreira
Cristina Ferreira redobra presença em antena para atacar liderança da SIC