rabbit-hole-movies-16569756-845-466

Até onde pode ir o amor?

Quem pensa que é um filme recente, engana-se. O Outro Lado do Coração ou Rabbit Hole – título original – valeu a Nicole Kidman a nomeação para o Oscar de Melhor Atriz em 2011. A chegada tardia a Portugal pode estar relacionada com a difícil trama que o filme representa.

Oito meses após a morte do filho de Becca (Nicole Kidman) e de Howie (Aaron Eckhart), o casal tenta regressar à normalidade. Envolvidos num turbilhão de emoções onde reina, essencialmente, a raiva, a culpa e a memória, apenas Becca demonstra sentir o sofrimento em relação à perda do filho. É ela que tem, todos os dias, de lidar com os desenhos colados na porta do frigorífico, da roupa ainda no armário, dos brinquedos no quarto. Esses pequenos objetos vão realçando a presença do pequeno Danny e ajudando Becca a afundar-se ainda mais na tristeza. Por outro lado, Howie vê nessa ‘presença’ o conforto de que precisa para ultrapassar a morte do filho.

O casal tenta, então, ultrapassar a dor mas de forma isolada e separada. Enquanto Becca vai entrar em contacto com universos paralelos que, de alguma maneira, ajudam-na a redefinir obstáculos e colmatar a dor, Howie tenta refugiar-se nos braços de outra mulher.

large_rabbit_hole_blu-ray_6

Apesar do esforço de ambos para reaprenderem a amar-se e a viver um com o outro, o drama vai intensificando-se e, aos poucos, o desgaste das personagens é o desgaste dos próprios espectadores. É a gravidez da irmã de Becca, o esvaziar repentino da casa onde cresceu Danny, o encontro com Jason, o cão Taz que traz nele toda uma culpa, os confrontos com a mãe, a banda desenhada, as sessões de terapia de grupo, a tentativa e consequente falhanço de regresso à normalidade. É, sobretudo, a falta de amor entre eles. A relação, outrora intensa, está agora a ficar gasta.

Mas é também todo esse cansaço emocional que John Cameron Mitchell quis mostrar ao longo de 90 minutos que torna o filme apelativo e que faz com que o espectador queira saber mais; queira acompanhar de perto a vida do casal; como vão superar a morte do filho; como vão arranjar tempo para voltarem a estar juntos como duas pessoas que se amam verdadeiramente; o que vai acontecer a seguir.

hole1

Todo o filme atribui-nos um olhar intimista. É o desvendar da cortina de uma casa silenciosa. De um drama de uns pais que se agarram, ainda, a vídeos do filho que todas as noites assistem para se sentir bem consigo próprios. É tentar abdicar da tristeza para ficar felizes com o que de bom acontece às pessoas que os rodeiam…

Quanto aos atores, Nicole Kidman transmite ao mesmo tempo angústia e paz, o que faz com que exista imediatamente uma ligação entre ela e os espectadores. Aaron Eckhart também mantém as expectativas altas ao representar o pai que tenta, a todo o custo, ajudar a mulher a sair do fundo do poço. 

Adaptado do livro de David Lindsay, Abaire, e vencedor do Prémio Pulitzer na categoria de Drama, este filme não é um filme fácil. No entanto o realizador consegue atribuir alguma sobriedade à forma como a história é contada, evitando e bem, a meu ver, o drama pesado que a maioria dos filmes sobre estes assuntos acarretam. Além disso, este Rabbit Hole põe-nos, certamente, a pensar…

7/10

Ficha Técnica:

Título original: Rabbit Hole

Realização: John Cameron Mitchell

Argumento: David Lindsay-Abaire

Elenco: Aaron EckhartNicole KidmanDianne Wiest, Giancarlo Esposito, Miles Teller, Sandra Oh e Tammy Blanchard

Género: Drama

Duração: 91 minutos

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Ver p'ra Crer TVI
‘Ver p’ra Crer’. TVI repete concurso para subir às 18h