90210

90210 – os números da sorte

90210 terminou no passado dia 13 de maio após cinco temporadas que acompanharam a vida de Annie (Shenae Grimes), Naomi (AnnaLynne McCord), Liam (Matt Lanter), Silver (Jessica Stroup), Navid (Michael Steger), Dixon (Tristan Wilds) e Adrianna (Jessica Lowndes). Nascer em Beverly Hills é, com certeza, uma sorte para os que sonham com uma vida de luxos, onde o dinheiro cresce exponencialmente. A série 90210, o código postal de Beverly Hills, Califórnia, mostrou ao mundo a vida privada dos jovens californianos de elite, neste spin-off da série original Beverly Hills, 90210 emitida de 1990 a 2000.

Cinco temporadas depois, com início em setembro de 2008, 90210 chega ao fim. Uma temporada que lançou os protagonistas para a vida adulta, crua e nua, e que, apesar de reciclar alguns temas, consegue também renovar os ares. Nos primeiros episódios o foco vai para o acidente do Dixon, o casamento entre Max (Josh Zuckerman) e Naomi  e ainda o pedido de Silver a Teddy (Trevor Donovan) para este ser o pai do seu filho.

90210O trio Naomi , Max e Alec (Trai Byers) foi resultando, prevalecendo assim como uma das melhores partes da série. Naomi traz frescura a cada cena que entra; Max consegue ser o menos fútil de todos, trazendo desta forma alguma realidade a 90210; já Alex provoca um conflito interessante que se desenrola ao longo da temporada.

O trio Dixon, Annie e Riley (Riley Smith) acabam por ter um bom plot, com questões importantes a serem postas em causa, mas o fechar deste segmento acaba por ser demasiado leviano. A impressão que fica é a de que os guionistas queriam acabar com o assunto rapidamente.

No meio de tudo isto, Silver traz credibilidade à série, introduzindo temas fortes como o cancro mamário e a inseminação artificial, conseguindo – no início – captar o espectador. Lá mais para o fim, as discussões entre Teddy, Micaela (Lyndon Smith) e a própria Silver acabam por ser repetitivas e sem nenhum objetivo aliciante. Já Liam vai sendo atacado de todos os lados e acaba por se ridicularizar, com tanto plot a ser mal aproveitado. Por outro lado, Navid tem uma participação diminuída mas com bastante potencial, o que acaba por resultar bem, principalmente a sua incursão nos negócios. Por fim, Adrianna, a mais problemática e mimada de todas as protagonistas, acaba por se perder, numa reciclagem completa de assuntos passados.

90210

O episódio que me fez ter orgulho de seguir a série: 902-100, o centésimo episódio de 90210 levou-nos de novo ao início da série, de certa forma, uma vez que todos voltaram à escola secundária de Beverly Hills, onde passaram três anos.

O episódio que me fez atirar o comando ao ecrã: We’re Not Not In Kansas Anymore relatou uma realidade alternativa, acabando por roçar o ridículo, não ajudando o facto de Annie ser das protagonistas menos likeable da série, na minha opinião.

Melhor personagem: Naomi, Silver e Navid. Fazendo um balanço das cinco temporadas, estes três personagens tiveram sempre as melhores interpretações da parte dos atores, os plots mais interessantes e credíveis, para além de não caírem constantemente nas mesmas situações.

Pior personagem: Dixon. A verdade é que a personagem sempre me irritou desde o início da série, mas durante o progresso da série, essa tendência tem vindo a piorar. Para além da má interpretação constante do ator, Dixon nunca conseguiu impor-se na série, acabando por aparecer mas sem se destacar.

Melhor história: Apesar do que vim dizendo sobre a Annie, aqui tenho de dar o braço a torcer. Neste fim de temporada, a Annie lançou-se como a Autora X e esse segmente veio realmente a ser uma das melhores histórias da season. O livro acaba por desenterrar assuntos e trazer à tona um conflito importante para o desfecho dos relacionamentos entre o grupo.

90210A maior surpresa da temporada: os vários convidados musicais e não musicais que foram uma constante nesta temporada. Desde Carly Rae Jepsen a Sammy Adams, o nadador olímpico Ryan Lochte, Nelly Furtado, Carmen Electra, Ne-Yo, Taio Cruz, Rita Ora, Olly Murs, entre muitos outros.

Apesar da sua futilidade, 90210 cumpriu a sua missão: fez alguns sonhar, causou controvérsia, não foi role-model, mas também teve os seus momentos de lições morais; um guilty pleasure que entreteve os mais jovens por cinco temporadas. 90210 terminou em volta de um esperado cliché, talvez para agrado de milhões de fãs, sem nenhuma surpresa adicional. O desfecho parece-me até ter sabido a pouco quanto a algumas personagens e situações, o que acaba por empobrecer o pouco de bom que a série tinha. Tudo acabou por se dissolver em nome de um bem superior: a amizade.

Nota: 4/10

Mais Artigos
Selena: A Série
‘Selena: A Série’. Netflix lança primeiro trailer da biopic