05

O cruel capitalismo de Costa-Gravas

Pelas mãos de Costa-Gravas chega-nos mais um filme sobre o mundo selvagem do capitalismo onde o realizador não poupa críticas. Com estreia a 1 de maio, O Capital (Le capital), baseado no romance de Stéphane Osmont, mostra-nos uma história do Robin dos Bosques invertida: roubar aos pobres para dar aos ricos.

Gad Elmaleh é Marc Turneil, o novo e calculista presidente de um dos maiores bancos europeus, Phénix, e não olha a meios para alcançar ainda mais poder. Contudo, vê-se rodeado de falsas amizades, de traidores e de pressões, tanto da sua equipa como dos americanos que querem comprar o banco. Gabriel Byrne é Dittmar Rigule, o americano que pressiona e ameaça Marc para vender o banco para que os EUA o possam comprar a preço irrisório.

cpital

Costa-Gravas, conhecido pelas suas duras críticas políticas, começa o filme de uma forma quase cómica e desde logo nos mostra a intensidade do mundo financeiro, inundado de testosterona. O Capital não se trata de uma verdade desconhecida mas de uma verdade que não quer ser reconhecida ou exposta. Desde sofisticados e dispendiosos escritórios, viagens relâmpago ao Japão ou Nova Iorque, eventos sociais recheados de pessoas importantes, modelos, dinheiro e drogas. Tudo a que o dinheiro tem direito, pois na verdade é ele o protagonista do filme.

A obra é baseada no livro Le Capital de Stéphane Osmont, que mostra um monstro moderno – o banqueiro – que assume e abusa do poder. O título é sem dúvida uma referência à obra de Karl Marx que também expõe os perigos do capital.

01 (1)

Marc vive entre jogos de poder, sabendo que pode ser demitido com ou sem a venda do Phénix e entra também neste jogo onde o seu único objetivo é conquistar mais dinheiro e poder e continuar presidente. É um jogo de equilíbrio onde por vezes se questiona e demonstra preocupação, principalmente quando surge Maud Baron (Céline Sallette), uma executiva especialista na economia do Japão, que sonha em expor o horrível mundo e submundo do capitalismo.

O realizador franco-grego oferece-nos uma obra ritmada e excitante que por vezes atrai o público aos excessos do mundo onde o dinheiro é quem manda, mas também o faz questionar até quando subsistirá este modelo de mercado perigoso, extenuante e vicioso.

04

O filme apresenta mais ritmo do que outras obras de Costa-Gravas, como Desaparecido (Missing) ou Amen e representa perfeitamente este mundo frenético e asfixiante. É o dia-a-dia do que se passa à sua volta, dos mercados, da corrida desenfreada ao poder, das leis ultrapassadas e do que não vemos dentro do mundo da banca. É o dia-a-dia de quem vive da doença que é o mercado. E Marc é o exemplo máximo.

O desempenho do elenco merece ser referido, destacando o irlandês Gabriel Byrne e Gad Elmaleh, um ator que nos habituou à comédia mas que tem uma interpretação surpreendente n’O Capital. É de facto, um filme que merece ser visto, não só pela dinâmica mas pelo tema que afeta os nossos dias.

6.5/10

Ficha Técnica:

Título Original: Le Capital

Realizador: Costa-Gravas

Argumento: Costa-Gravas, Karim Boukercha, Jean-Claude Grumberg

Elenco: Gad Elmaleh, Gabriel Byrne, Natacha Régnier, Céline Sallette

Género: Drama, Thriller

Duração: 113 minutos