Desde 24 de março, e em cada domingo, o Espalha-Factos tem uma nova iniciativa. Depois de, com o A Recordar, termos relembrado grandes atores e atrizes que não viram o seu talento reconhecido (ou apenas tardiamente tal aconteceu) ou caíram no esquecimento, desta vez iremos destacar algumas dos nomes mais Queridos de Hollywood, numa rubrica com o mesmo título.

Esta semana, o Espalha-Factos destaca a atriz de origem israelita, formada na Universidade de Harvard no curso de Psicologia, mas que descobriu o seu gosto pela Sétima Arte onde continua a encantar e surpreender. Falamos pois de Natalie Portman, que é hoje uma das mais “Queridas de Hollywood”, vencedora de um Oscar da Academia pelo seu desempenho.

Biografia

De origem judaica, nascida em Jerusalém, Israel, a 9 de junho de 1981. Filha de pai médico e mãe com conhecimento nas lides artísticas, Natalie Portman (cujo nome de nascimento é, na verdade, Natalie Hershlag) teve desde cedo contacto com as artes. Mudou-se ainda muito nova para solo americano, primeiro para Washington D.C. e depois para Nova Iorque, onde a sua família ainda reside nos dias de hoje. Ao acabar o secundário, Natalie foi aceite na Universidade de Harvard, uma das mais prestigiadas do mundo, onde concluiu o seu curso de Psicologia, ao mesmo tempo que começava a dar os primeiros passos na representação.

Em 1994, a atriz fez o seu primeiro grande papel, um desempenho espetacular em Léon, o Profissional. Nos anos que se seguiram Natalie Portman entrou em várias longas metragens mas o seu grande sucesso estava para chegar em 1999 quando foi a escolhida para interpretar a Rainha Amidala no tão esperado blockbuster Star Wars: Episódio I – A Ameaça Fantasma.

Natalie no papel da Rainha Padme Amidala na saga Star Wars, a personagem que a celebrizou.

A partir de Star Wars: Episódio I – A Ameaça Fantasma, a atriz continuou a somar êxitos e não tardou até surgirem as primeiras nomeações pelos seus incríveis desempenhos. Em 2004, protagonizou Perto Demais, ao lado de Jude Law, Clive Owen e Julia Roberts, e foi com este filme que recebeu a sua primeira nomeação aos Oscars. O papel de Rainha Amidala, que a celebrizou, continuou a fazer parte do seu currículo, quando em 2002 e 2005, respetivamente, participou nos filmes Star Wars: Episódio II – O Ataque dos Clones e Star Wars: Episódio III – A Vingança dos Sith. O seu primeiro Oscar chegou em 2011, com o filme Cisne Negro.

Principais Filmes e Prémios

A atriz iniciou-se na Sétima Arte com 13 anos, no filme Léon, o Profissional. Nos anos que se seguiram, para além de cinema, a jovem fez também teatro: em 1997 agarrou a oportunidade de interpretar uma personagem com grande carga histórica, Anne Frank, na adaptação da Broadway de O Diário de Anne Frank. Em 1999, fez parte do filme que a catapultou para a ribalta, Star Wars: Episódio I – A Ameaça Fantasma. No mesmo ano, foi convidada para fazer parte do elenco do filme A Minha Mãe, Eu e a Minha Mãe onde iria contracenar com Susan Sarandon, mas só após uns ajustes no guião, que excluíram as suas cenas de sexo, é que a atriz, então com 18 anos, aceitou a proposta. O papel de Ann August em A Minha Mãe, Eu e a Minha Mãe valeu-lhe a sua primeira nomeação a um Globo de Ouro pelo seu papel secundário.

Ao mesmo tempo que estudava em Harvard, a atriz foi arranjando tempo para promover os seus filmes e preparar-se para novos papéis, tanto no teatro como no cinema. Em 2001, numa peça de teatro que estreou em Nova Iorque, Natalie contracenou ao lado de atores como Meryl Streep, Kevin Kline e Philip Seymour Hoffman, já veteranos na arte de representar. Em 2003, foi destacada para ter um pequeno papel em Cold Mountain ao lado de Jude Law e Nicole Kidman. Em 2004, protagonizou Perto Demais, papel que lhe valeu o primeiro Globo de Ouro para Melhor Atriz Secundária e a sua primeira nomeação para um Oscar da Academia, com apenas 23 anos.

Natalie quando recebeu o seu 1º Globo de Ouro pela sua prestação em Perto Demais.

Em 2005, estreou o último filme da saga Star Wars e Natalie acabou assim a sua ligação à Rainha Amidala. Em 2006, estreia outro dos filmes que contribuíram para o sucesso da atriz: V de Vingança. Para esta longa-metragem, a atriz teve de aperfeiçoar o seu sotaque britânico e rapou a cabeça para o papel de Evey Hammond. O facto de V de Vingança ter uma grande carga política foi um dos motivos que levou Natalie a aceitar o papel, justificando-o com o facto de “… ser de Israel foi a razão por que quis fazer parte deste filme porque a violência e o terrorismo são grande parte das minhas conversas de vida desde que sou jovem.”

A atriz de cabelo rapado, uma ação que muitos consideraram como sinal de dedicação e amor ao seu trabalho.

No final de 2006, Natalie começou a gravar o filme histórico Duas Irmãs, Um Rei, que estreou em meados de 2008. Em 2007, estreou outro dos seus filmes mais conhecidos My Blueberry Nights – O Sabor do Amor, onde mais uma vez contracena com o ator inglês Jude Law. Em 2008 a atriz tornou-se no mais jovem membro dos júris do 61º Festival de Cinema de Cannes e, em 2008, com 27 anos, fez a sua estreia como realizador com Eve, uma curta-metragem que competiu no Festival de Veneza.

Em 2011, a atriz ganhou o Globo de Ouro de Melhor Atriz assim como o seu primeiro Oscar pelo papel em Cisne Negro, onde interpreta Nina Sayers, uma bailarina obcecada pela perfeição. As críticas ao filme reportaram o desempenho de Natalie como tendo sido estonteante, tal como Kurt Loder, um crítico de cinema: “Portman dá-nos uma das suas melhores e tocantes performances neste filme, o que certamente quer dizer alguma coisa.” A partir de 2011, a atriz começou a fazer papéis mais cómicos e descontraídos: em 2011 estreou Sexo Sem Compromisso, uma comédia romântica onde contracena ao lado de Ashton Kutcher, seguindo-se Real Desatino, outra comédia com James Franco e Danny McBride, e mais tarde Thor, um filme com assinatura da Marvel. Em 2010, Natalie Portman tornou-se o rosto da marca Dior e em 2012 participou no videoclip da música My Valentine de Paul McCartney, ao lado de Johnny Depp.

A atriz a segurar o seu primeiro Oscar, atribuído pela sua performance em Cisne Negro, aqui já grávida do seu primeiro e único filho até ao momento, Aleph.

Vida Pessoal

Em 2009, Natalie confirmou o noivado com o bailarino Benjamin Millepied, coreografo do filme Cisne Negro. Um ano mais tarde, a atriz confirmou a sua gravidez e em junho de 2011 deu à luz o seu filho Aleph Portman-Millepied. Em 2012, teve lugar a sua cerimónia de casamento, em Big Sur na Califórnia, uma festa judaica e intima, reservada apenas aos amigos e familiares mais próximos.

No total, Natalie Portman ganhou ao todo 33 prémios de cinema, entre os quais se destaca a sua consagração com o Oscar da Academia e dois Globos de Ouro. Natalie merece destaque nos Queridos de Hollywood pelo seu talento incomensurável, a sua dedicação e empenho que a tornaram numa das melhores atrizes da sua geração. A atriz judaica, nascida em território israelita, é defensora de inúmeras causas políticas e ambientais. Nunca deixou de lutar pelo seu reconhecimento e vai caminhando, aos poucos, para deixar o seu nome imortalizado na História do Cinema.