gael-garcia-bernal-no

IndieLisboa’13: Liberdade, Independência, Democracia

E se a liberdade pudesse ser ‘vendida’ como qualquer outro produto?

Em No de Pablo Larraín regressamos ao Chile de 1988, onde o regime de Pinochet se encontra no poder. Contudo, a pressão internacional abre a possibilidade de uma mudança política – como conseguir que os chilenos digam não à opressão no referendo nacional?

Segue-se a campanha publicitária dos que defendem o fim do regime. Gael Garcia Bernal é René Saavedra, numa interpretação que revela o ‘génio criativo’ do publicitário, mas sem o idolatrar.

É o homem e o cidadão que se apresenta em cena: Saavedra é um profissional de sucesso que procura manter-se afastado dos tumultos políticos. Até que é convidado para integrar a comitiva dos que se recusam a coadunar com Pinochet.

Aplica as regras da publicidade dita comercial à campanha que tem agora em mãos. Primeiro recebe uma reação negativa dos seus pares, mas à medida que o tempo vai passando a sua estratégia mostra-se cada vez mais adequada. A mobilização popular comprova que os frutos começam a ser colhidos.

d86735fcb_232714020113

A democracia é transmitida pela alegria e pelos conteúdos que são transmitidos diariamente na televisão nacional. Cortar com tudo o que seja opressão é o verdadeiro objetivo a atingir.

Ainda assim nem tudo é um “mar de rosas” nesta ação, antes pelo contrário: o regime contra-ataca com uma campanha – liderada pelo chefe de Saavedra – assente na denúncia de uma falsa felicidade manifesta nos adversários. As perseguições fazem-se sentir, os tumultos começam, a vida pessoal é posta em causa.

No é um filme energético assente nas próprias características da campanha que lhe dá nome. Pablo Larraín mistura a atmosfera da época com os jingles publicitários que ficam no ouvido. De fato, sente-se a “viagem no tempo” através da fotografia do filme.

Se o espectador é conduzido pelos momentos de organização da campanha, também tem acesso ao produto final e pode ser contagiado por ele. Os bastidores vêm assim reforçar os ideais de liberdade promovidos ao longo da história.

No de Pablo Larraín foi uma escolha acertada para abrir a 10ª edição do IndieLisboa. Com uma mensagem política atual, o filme consegue confrontar-nos com um episódio histórico que poderia decorrer nos nossos dias. Os tempos são diferentes, os princípios são os mesmos.

8/10

Ficha Técnica:

Título Original: No

Realizador: Pablo Larraín

Argumento:  Pedro Peirano e Antonio Skármeta

Elenco: Gael Garcia Benal, Alfredo Castro, Luis Gnecco

Género: Drama, História

Duração: 118 minutos

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Discurso de ódio
Podcast. Monitorizar discurso de ódio ou censurar liberdade de expressão?