Um Caso Real é o título perfeito da longa-metragem de Nikolaj Arcel. Baseado na história verídica do rei Christian VII da Dinamarca e da sua mulher Caroline Mathilde, que se envolveu com o médico do marido, este foi um dos filmes nomeados para Melhor Filme Estrangeiro nos Oscars 2013. A realeza dinamarquesa e todos os seus pecados, carnais, políticos ou pessoais são postos a nu num drama de época envolvente.

Em 1766, na Dinamarca, Caroline Mathilde está casada com Christian VII, um rei louco e incapaz, que a ignora e opta por uma vida escandalosa. Por seu lado, a rainha habitua-se a uma vida tranquila numa Copenhaga repressiva. Quando o rei regressa de uma viagem pela Europa acompanhado de Struensee, o seu novo médico, a Caroline descobre um inesperado aliado no seu reino. A atracção que os dois sentem desenvolve-se devido aos ideais que ambos partilham, mas depressa evolui para um romance clandestino e apaixonado. Ligado aos ideais iluministas proibidos na Dinamarca, o médico convence o rei a dar uso ao seu poder até aí inexplorado para destituir a conservadora assembleia política e levar a cabo grandes mudanças na sociedade dinamarquesa. Mas as consequências não tardarão.

O argumento é cativante, especialmente para apreciadores de históricos, tendo por base não somente a história verídica do reinado de Christian VII, como igualmente o romance de Bodil Steensen-Leth, Prinsesse af blodet. Fiel aos acontecimentos que aconteceram na época, Um Caso Real dá-nos a conhecer esta monarquia repressiva e de censura que se vivia até Struensee entrar no reino, e todas as consequências dos seus actos.

Desde os distúrbios psíquicos do rei, à infelicidade e ideais iluministas da rainha, deslocados da sociedade dinamarquesa, até ao caso amoroso que ela mantém com o médico Struensee, em quem se revê e lhe oferece todo o carinho e dedicação que não encontra no marido, o filme é claro e construído de forma a atrair atenções da plateia. A componente política é bem explícita, mostrando um rei incapaz de fazer mais do que assinar por baixo as decisões tomadas pela assembleia, que o toma como tolo e desequilibrado. A entrada de Stuensee na vida de Christian VII vem provocar grandes alterações: na personalidade do rei, que ganha confiança e vê no médico um companheiro que o compreende – ao contrário de toda a corte -; e nas decisões tomadas, com o rei a ganhar pulso firme e oferecendo liberdades ao seu povo, que até então nunca seriam permitidas.

05

A personagem de Christian VII é talvez a mais interessante e complexa de todo Um Caso Real. Central para toda a narrativa, o rei é imprevisível e torna-se fascinante ver as variações que ocorrem na sua personalidade até ao último minuto de filme. O actor que lhe veste a pele, Mikkel Boe Følsgaard, tem o melhor desempenho da longa-metragem, muito exigente e bem concretizado. Por seu lado, o médico Stuensee é outro ponto de interesse por todos os seus ideais revolucionários, pela amizade que cria com o rei, pela relação adúltera que mantém com Caroline e, a certa altura, pela ambição que o parece consumir. Mads Mikkelsen, sempre com o seu ar altivo e elegante, revela-se uma excelente escolha para o papel.

No que toca às mulheres do filme, a rainha Caroline Mathilda, interpretada por Alicia Vikander (que pudemos ver recentemente em Anna Karenina), traz consigo uma boa dose de coragem e revela-se uma grande desafiadora da moral e costumes de uma sociedade oprimida. Depois de conhecer a sua história, o espectador não conseguirá condená-la pela traição ao marido. Por outro lado, e apesar do pouco protagonismo, a rainha Julianne Marie, madrasta do rei, fria e calculista, tem um papel decisivo em toda a narrativa, pela oposição que coloca às atitudes do enteado. Está-se perante um bom desempenho de Trine Dyrholm.

04

Um Caso Real tem contra si alguns momentos mais monótonos que poderiam ter sido evitados com uma duração menor, já que, a certa altura, a plateia sente que o filme se arrasta. Contudo, a componente visual, onde a fotografia, de Rasmus Videbæk, assume um papel importante, consegue atenuar essa monotonia, proporcionando cenas de grande beleza estética. De elogiar também a excelente banda sonora composta pelo oscarizado Gabriel Yared (O Paciente Inglês) e por Cyrille Aufort.

Um Caso Real é uma denúncia dos pecados da realeza da Dinamarca, durante o reinado de Christian VII, contada de forma sóbria, mas envolvente, quer pelos ideais políticos e românticos, quer pela beleza visual que comporta.

7/10

Ficha Técnica:

Título Original: En kongelig affære

Realizador: Nikolaj Arcel

Argumento:  Rasmus Heisterberg e Nikolaj Arcel, com base no romance de Bodil Steensen-Leth

Elenco: Alicia Vikander, Mikkel Boe Følsgaard, Mads Mikkelsen, Trine Dyrholm, David Dencik

Género: Drama, Histórico, Romance

Duração: 137 minutos

Crítica escrita por: Inês Moreira Santos

*Por opção da autora, este artigo foi escrito segundo as normas do Acordo Ortográfico de 1945.