RO_oventomudou

O Vento de Ricardo Oliveira Mudou

Este é um daqueles álbuns de versões que pode vir a esgotar stock nas lojas habituais mas que, ainda assim, corre um elevado risco de se perder por estradas desalinhadas. É certo que Ricardo Oliveira foi convidado para este registo por uma das maiores editoras mundiais de música, que certamente deve ter calculado estas margens de erro, no entanto isso não faz de O Vento Mudou menos arriscado.

Afinal de contas temas como Estou Além, 20 Anos ou Sol de Inverno são por demais a demanda de um povo enquanto de cultura se fala. Não que Ricardo seja um mau executante, porque nisso já lhe tirei o chapéu, mas não é todos os dias que podemos escutar versões Sinatra ou Bublé das imortais canções dos nossos pais e avós. Esta estranheza poder-se-á entranhar? Só o volume de vendas o poderá dizer, visto que quanto a questões de ouvido o povo português costuma trazer-nos grandes surpresas.

Não é de todo fácil controlar canções com tanto fôlego como as 12 escolhidas para este álbum, mas o cantor aparenta dominar muito bem grande parte delas, aliando este facto à técnica e ao timbre escorreito e “certinho” que possui.

As composições já as conhecíamos, apenas estão camufladas de Broadway, já os arranjos estão de bom gosto na génese do disco, salvo algumas excepções que desconfiam da regra. Entre os destacáveis está o tema que dá nome ao álbum, O Vento Mudou, mas ainda quatro outras canções que quando à compra do álbum aconselho a serem escutadas. Olhos Castanhos, Só Nós dois é que sabemos, No teu poema e Sol de Inverno completam esta lista das melhores 5 canções em 12.

De facto este álbum pode muito bem vir a ser um descolar do chão que a carreira do português precisa, visto que pelo menos a nível de captação e mistura dos sons este álbum “abafa” o seu primeiro registo de estúdio. Falamos de sopros requintados, percussões com um óptimo balancear e sempre que possível o arranhar das cordas que se envolvem na voz. Não é o álbum de uma carreira, nem certamente aquele que mais vai orgulhar o intérprete daqui a alguns anos, mas tem critério, corpo e um q.b. de alma. Receita perfeita para o primeiro disco de uma nova vida.

O Vento Mudou (Ricardo Oliveira)

Universal Music Portugal 2013

Classificação final: 9/10

Mais Artigos
The Umbrella Academy
Crítica. ‘The Umbrella Academy’: depois de um início excelente, uma continuação fenomenal