ua

Universidade de Aveiro desenvolve “pele” artificial para aviões da Airbus

A Universidade de Aveiro tem uma equipa de investigadores que se encontra a desenvolver um revestimento inteligente que, aplicado à fuselagem dos aviões, é capaz de reparar pequenas ruturas resultantes de impactos mecânicos ou ambientais no decorrer do voo, tal como acontece com a pele humana.

O revestimento é composto de nanocontentores de espessura mil vezes mais pequena comparativamente a um fio de cabelo e que libertam do seu interior moléculas regeneradoras, quando necessário. Este material vai ser utilizado pela EADS (European Aeronautic Defence and Space Company), um dos maiores fabricantes de aviões comerciais do mundo.

Para além da empresa proprietária da Airbus, cuja previsão indica que a tecnologia começará a ser utilizada já em 2013, existem também grandes nomes das plataformas petrolíferas, da indústria automóvel e dos geradores eólicos à espera de poderem aplicar nos seus equipamentos este inovador revestimento desenvolvido pelo Centro de Investigação em Materiais Cerâmicos e Compósitos (CICECO) da Universidade de Aveiro.

Mais Artigos
Alô Marco Paulo
‘Alô Marco Paulo’ tinha “tudo para ser um desastre”, mas “acaba por se aguentar”