É já amanhã, dia 9 de março, que decorre o primeiro festival irlandês em Portugal, no Lx Factory, contando com música, literatura, artes plásticas, gastronomia, bebidas e boa disposição à irlandesa.
Com o principal objetivo de celebrar a cultura irlandesa, o diretor e responsável pelo festival, Conor Gillen, traz o Irish Festival a Lisboa para mostrar o quão enriquecedor é a cultura do seu país, celebrando as artes e a cultura.

Dando um ênfase especial à música atual da Irlanda, o festival irá dar a conhecer os talentos emergentes da música contemporânea irlandesa, tal como trará nomes já conhecidos pelo público.

Aqui o contemporâneo é reforçado pois não se trata de um evento de música tradicional celta (a primeira ideia que nos poderia passar pela mente), mas sim de um cruzamento da tradição com o folk, o rock, o punk, a pop e a eletrónica.

No alinhamento musical, o cartaz conta com Wallis Bird, Ham Sandwich, Le Galaxie, Ghost Estates e Generic People e ainda uma sessão aberta para músicos irlandeses e portugueses participarem em conjunto.

Haverá também um painel de discussão sobre a literatura irlandesa e portuguesa, com António Feijó, João Tordo e Richard Zenith e uma exposição de fotografia, por Pedro Azevedo.

Lisboa passa assim a juntar-se às grandes capitais que já celebram pelo menos um dia dedicado à Irlanda, sendo que muitas delas celebram já o St. Patrick’s Day, que há muito passou a simbolizar a união irlandesa pelo mundo fora.

Este Festival acaba por partilhar essa união irlandesa com os portugueses, transmitindo a energia, o talento e o bom humor da Irlanda que chega para surpreender, partilhar e contagiar, juntamente com pratos típicos que “fortalecem o corpo e o espírito”.

O bilhete de entrada tem o custo de 30€. Para mais informação sobre o cartaz, preços e horários de bilheteira vá aqui

“Em março, jante em Dublin, dance em Belfast e durma em Lisboa!”