Os tempos atuais são frágeis para os portugueses. Mas o crescimento económico deve ser estimulado mesmo em contextos de austeridade e crise. Nesse sentido, as novas Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) mostram um potencial revolucionário e promissor para reverter esse contexto. A rubrica Life-Tech pretende isso mesmo, dar conta das novidades no universo tecnológico que poderão, no curto ou longo prazo, ter grandes impactos nas vidas das pessoas. Nesta primeira edição, será explorada em detalhe a proposta da Google de produzir uns óculos revolucionários. Mas haverá espaço também para algumas curtas notícias sobre outros projetos tecnológicos.

TECH-LONG

Esta empresa multinacional de serviços online e software apresentou uma nova ferramenta tecnológica no mercado: o Glass, que foi primeiramente anunciado através um vídeo explicativo do conceito e respetivas funcionalidades deste equipamento que, como o nome indica, mais não é do que um simples par de óculos, mas com características que o diferem dos óculos ditos normais expostos no mercado:

Uma das principais utilizações que o Google apontou há doze meses atrás, altura em que manifestou a intenção de lançar essa nova tecnologia no mercado, foi potenciar a capacidade que o Glass teria para orientar o utilizador em locais desconhecidos. Para além dessa interessante funcionalidade, uma outra bastante apelativa é o facto de ser possível levar o Glass para o estrangeiro, tendo o produto a capacidade de traduzir expressões para outras línguas.

Além desta característica deveras atraente, o Glass permite tirar fotografias e para isso basta dizer «Tirar foto», fazer videochamadas, onde se diz «Conversar com…» e ainda é possível ditar os pensamentos para o equipamento. Ou seja, além de procurar informação, também se pode ir buscar fotografias que são mostradas numa grelha, através dos óculos.

No vídeo também se pode ver a integração com o Google Now (um sistema que permite obter informação personalizada no telemóvel quando solicitada, mostrando dados relacionados com o lugar onde estamos). No exemplo do vídeo, um homem está no aeroporto e o seu Glass mostra informação sobre o terminal, a porta de embarque e partida no canto do ecrã.

As novidades não ficam por aqui. Dado que algumas empresas de tecnologia têm alguma tendência para se concentrarem excessivamente na tecnologia de um dispositivo e nas características do mesmo, colocando de parte a estética do produto (que é extremamente importante para os potenciais compradores), o Google está a negociar com a Warby Parker (uma loja online de óculos fundada em 2010 pelos sócios Neil Blumenthal e David Gilboa) um novo modelo deste acessório, esteticamente mais atraente e moderno, segundo informações do The New York Times.

GoogleGlass

Quem também está muito entusiasmado com o Glass é Mark Zuckerberg, 28 anos, e fundador do império Facebook. Zuckerberg tem sido bastante cauteloso ao elogiar o Google por esta invenção tecnológica, devido às rivalidades que predominam entre as duas empresas de media.

No entanto, rivalidades à parte, o fundador de uma das maiores redes sociais da atualidade mostrou que o Facebook está preparado para ajudar a desenvolver o equipamento Glass, uma vez que, de acordo com Zuckerberg, o Facebook tem uma equipa de três engenheiros, liderados por um ex-funcionário do Google, à espera que o produto seja enviado para eles para que possam começar a criar novas aplicações no próprio equipamento.

Tal como afirmou o filósofo Marshall McLuhan «O homem cria as ferramentas e, subsequentemente, as ferramentas recriam o homem», e é essa mesma criação e recriação que se pretende impor numa sociedade completamente dependente das novas tecnologias, numa sociedade contemporânea, mas ao mesmo tempo vítima de si própria e daquilo que concebe, numa sociedade que impulsiona esta máxima de Life-Tech.

É certo que seria impossível para nós, seres humanos, vivermos hoje como os nossos antepassados viviam «ontem», sem os novos gadgets do momento. Mas protagonismos à parte, também é certo que alguma qualidade no relacionamento entre as pessoas se perdeu com o aparecimento das tecnologias.

Além do vídeo, o Google anunciou a abertura de uma nova vaga de pré-encomendas do gadget e revelou também a oportunidade das pessoas «deitarem as mãos» ao Glass, desde que vivam nos Estados Unidos e estejam dispostas a pagar 1.140€ por esta nova tecnologia.

TECH-SHORT

Chromebook Pixel

O Google lançou o seu primeiro laptop de ecrã tátil, que traz um monitor de alta resolução e um preço de topo de gama (cerca de 1.210€). De 12,8 polegadas, com uma impressionante resolução de 2.560 x 1.700 e com um total de 4,3 milhões de pixeis.

Chromebook-Pixel-by-Googl-012

iWatch de pulso? – A nova invenção da Apple

No mundo da tecnologia só se fala do Apple iWatch, do seu design, das suas funcionalidades e da possível data de lançamento. Este gadget é um relógio com um ecrã de enrolar, do género de uma pulseira «bate e enrola, composta por bandas de aço flexível em camadas dentro de uma capa de tecido». Mais do que um relógio, o iWatch contém um ecrã tátil, onde o utilizador pode fazer várias tarefas diferentes, incluindo «ajustar a ordem da sua atual playlist e rever uma lista de chamadas telefónicas recentes».

iWatch

Nikon apresenta uma nova câmara compacta

As câmaras compactas estão a ser claramente esmagadas pela constante evolução das câmaras dos smartphones. Por isso, a Nikon está a promover a Coolpix S3500, o seu mais recente upgrade, como uma alternativa descomplicada e portátil que tira melhores fotografias do que um smartphone alguma vez conseguiria. A câmara estará disponível em oito cores: roxo, prateado, preto, vermelho, laranja, cor-de-rosa, rosa com arte e azul com arte, tem dezoito modos de cena e otimiza automaticamente as definições para diferentes cenários e ambientes.

nikon-s3500-group-580-75