O serviço de música que permite a sua audição em streaming, mediante um pagamento mensal ou numa modalidade gratuita com publicidade integrada, chegou esta terça-feira a Portugal.

Recentemente disponibilizado para os portugueses, o Spotify oferece assinaturas que podem atingir os 3,49 euros mensais, para ouvir apenas em streaming, ou os 6,99 euros mensais, caso se pretenda também descarregar os ficheiros.

Com sede no Reino Unido e nascida na Suécia, a empresa já se encontra em função em vários países europeus e até na Austrália, EUA e Nova Zelândia. No caso português, as operações serão geridas pela sua subsidiária espanhola.

O Spotify conta com um leque musical proveniente de grandes editoras musicais como a Sony, Warner, Universal e EMI, assim como outras mais pequenas.

Apesar dos 20 milhões de utilizadores registados até ao ano passado, dos quais 5 milhões pagaram assinatura, o projeto está longe de ser lucrativo e apenas tem sobrevivido à conta do investimento de grandes empresas como a Coca-Cola e a Goldman Sachs.

A concorrência do Spotify em solo português já está bem instalada, e inclui serviços rivais como o Deezer e o Rdio, bem como o português Music Box, da PT, todos com modalidades de acesso pago. Este último reduziu, na semana passada, a mensalidade de 9,99 euros para 6,99 euros para os que não são clientes do grupo.