Os Julie & Carjackers levaram ontem ao Pequeno Auditório do CCB pouco mais de uma centena de pessoas, entre as quais se destacaram amigos e familiares do colectivo lisboeta. Na bagagem trouxeram ainda o seu álbum, Parasol, entre outros temas inéditos.

Pontuais, os seis músicos deram início ao concerto com o tema Julie, que em poucos segundos se encarregou de instaurar na sala uma atmosfera folk com raízes muito anglo-saxónicas levemente pinceladas com lusofonia e tropicalismo. De facto, esta junção de belos arranjos a temas genericamente simples e quase ingénuos é uma constante na curta discografia dos Julie & Carjackers.

Após The Chai n on my swing e Mr. Williams, dois temas de Parasol, João Correia, o vocalista, deu as boas vindas aos presentes, reconhecendo entre o público muitas caras conhecidas. “Nós lá atrás no camarim estávamos a ver-vos e sabemos que veio toda a gente, muito obrigado”. Afirmou o vocalista, que sorridente acrescentou: “Este é um concerto de família”.

Seguiram-se os inéditos June e Pale Grey. O primeiro tema já tinha sido tocado noutras oportunidades e esteve até para fazer parte de Parasol, já o segundo foi uma surpresa para todos os presentes e remete a sonoridade da banda para um universo paralelo ao Jazz. Pale Grey , mesmo mantendo a química folk brindada com coros límpidos e ritmos apaixonantes, pode bem marcar algumas mudanças na génese do novo álbum e ontem foi escutado com especial atenção por Rui Veloso. O canta-autor portuense esteve presente entre a audiência e assistiu atento ao concerto.

Entre os temas tocados destaque ainda para interacção da banda com um bébé que sentado na plateia, ia aproveitando as pausas entre músicas para se tentar exprimir por sons. Um dos momentos altos da noite que ajudou a quebrar a barreira entre banda e público algo natural neste tipo de recintos. “O ambiente até certa altura estava morno e tendeu a aquecer, mas acho que foi importante imprimirmos algum dinamismo porque nos fez desligar da pressão de estar a tocar numa sala com um nome destes”; confirmou Bruno Pernadas no final do concerto.

Caricata foi também a forma como a banda depois de tocar Haystack, Wait by telefone e As we walk down this road fingiu não ter um encore preparado e despediu-se do público, voltando minutos mais tarde a surpreender os fãs e amigos com a entrada de João Correia, que sozinho se encarregou de tocar Someone, o primeiro tema escrito pelo músico para os Julie & Carjackers, em 2009. “Esta é uma música muito importante para mim porque maraca o início do meu trabalho com o Bruno e, mais tarde, com a banda”. Afirmou o vocalista, que tocado pelo momento pediu aos técnicos do pequeno auditório para subirem a iluminação da sala. ”Quero ver-vos bem a todos”. Acrescentou.

A banda fechou com chave de ouro um concerto de uma hora e um quarto com Taxman dos inconfundíveis The Beatles. “Esta é que é mesmo a última. Fechamos com uma cover de uns tipos britânicos que talvez vocês conheçam, os Beatles”. Brincou João Correia ao apresentar o último tema da noite que segundo o próprio é tocado desde que a banda, por convite de uma rádio, em concerto tocou o álbum Revolver (1966) na sua totalidade.

No final, Bruno Pernadas, compositor, instrumentista e cofundador do projeto, avançou que a banda está a preparar dois novos trabalhos cuja data de lançamento ainda não pode ser oficializada. Sabe-se apenas que serão um single e um álbum e que o lado B do single será uma cover. “Não posso avançar mais do que isto, não só porque temos um compromisso de exclusividade para com uma rádio e porque ainda nem sequer iniciámos o processo de pré-produção”. Justificou o músico.

*Artigo redigido, por opção do autor, ao abrigo do acordo ortográfico de 1945