Uma aplicação criada pela Exciting Space permite que os visitantes de museus entrem num verdadeiro jogo de quizz, com a possibilidade de avaliar obras ou ver peças informativas. A intenção passa por alargar o conceito a outros contextos.

Ao entrarem no museu, os visitantes terão a oportunidade de serem eles próprios a avaliar as obras de arte, utilizando um iPad ou um iPhone ao passar por cada quadro para classificá-lo do ponto de vista artístico e atribuir-lhe um valor de mercado. No fim, a avaliação realizada pelos visitantes é comparada com a avaliação feita por peritos convidados propositadamente para a aplicação. É ainda possível obter informação sobre cada peça do museu e animações explicativas, para além de uma pergunta de escolha múltipla para cada modelo.

A ideia está ainda em fase de desenvolvimento para uma coleção de arte de uma entidade cujo nome não é possível revelar, de acordo com o co-fundador da Exciting Space, Nuno Alves. Fruto do trabalho conjunto de dois amigos, Nuno Alves e Jason Pascoe, e sem qualquer investimento externo, a empresa surgiu o ano passado. Mais tarde, também a tdesigner Nádia Carmo integrou a equipa.

A estratégia desenvolvida pela equipa pretende criar esboços de projetos para cada instituição antes sequer de esta ser abordada. Mas o verdadeiro objetivo não está na venda destes serviços. Pretende-se sim ganhar dinheiro e experiência para outro tipo de produtos que possam ser diretamente vendidos aos utilizadores e em grande escala.

Mais além do que espaços com a simples dimensão de um museu, a ideia é criar sites e aplicações que sirvam de guia para espaços muito maiores como jardins, parques ou cidades inteiras.