O Conselho de Ministros desta quinta-feira decidiu suspender a privatização da estação pública. No entanto, foi anunciada uma reestruturação profunda do operador público de televisão.

A decisão ficou fechada no Conselho de Ministros desta quinta-feira, dia 24 de janeiro. A venda de um dos canais da RTP  encontra-se suspensa por tempo indeterminado. Segundo o Diário Económico, o CDS-PP e o PSD não conseguiram compatibilizar as suas opiniões sobre o futuro da RTP. A solução passou por um compromisso entre a coligação, sendo que o debate em torno da privatização da RTP deverá voltar assim que as condições de mercado, nomeadamente a recuperação da publicidade, o permitirem.

No entanto, irá proceder-se a uma reestruturação profunda da RTP. Este ano, a estação pública verá o seu orçamento reduzido em 42 milhões de euros, com o governo a cortar na indemnização compensatória. Em 2014, a estação pública não deverá receber nenhum tipo de indemnização compensatória. Ficará assim condicionada a um orçamento de cerca de 180 milhões de euros, dos quais 140 milhões provêm da taxa de audiovisual, e 30 a 40 milhões de lucros com publicidade.

Nesta missão de redução de custos, foi ontem anunciada uma redução dos cargos de chefia. O conselho de administração da RTP, liderado por Alberto da Ponte, aprovou a nova estrutura organizativa, com uma redução de 33% dos cargos de chefia.