O Espalha-Factos faz uma análise audiométrica da primeira semana da nova programação da RTP1: o cenário não é favorável.

DAY-TIME: RENOVAÇÃO DOS TALK SHOWS NÃO CONVENCE

Possivelmente os resultados matinais foram um presságio do que aconteceria ao longo do resto do dia. A renovada Praça da Alegria não conseguiu mais do que valores entre os 13 e os 17% de quota de mercado. Querida Júlia, da SIC, agradeceu e teve uma das melhores semanas de sempre. O Jornal da Tarde tentou recuperar um pouco os valores da RTP1 e aproximou a estação dos 20% de share.

Já no início da tarde, a repetição da série Velhos Amigos não convenceu os espetadores, e piorou os resultados da estação pública neste horário em comparação com o programa antecessor, a novela brasileira Vidas em Jogo. As concorrentes Vingança e Tempo de Viver aproveitaram e subiram os seus valores. A tarde continuou com o renovado Portugal no Coração, que também não convenceu, e não foi além dos 13-17% de share, distante de A Tarde é Sua, da TVI, mas mais próximo de Boa Tarde, da SIC.

Ao final da tarde, Portugal em Directo e O Preço Certo continuaram a proporcionar os melhores resultados da RTP1 durante todo o dia. O primeiro conseguiu alcançar uma quota de mercado que oscilou entre os 15 e os 20%, enquanto o segundo foi, nos cinco dias em análise, o programa mais visto do canal, com um share sempre próximo dos 20%.

HORÁRIO NOBRE DÁ POUCOS SINAIS DE VIDA

No horário nobre a estação pública teve uma situação ainda mais complicada. O Telejornal continuou num distante terceiro lugar na competição entre os noticiários da noite, com cerca de 15% de share. Foi seguido de um alinhamento de programas informativos na faixa das 21h, que baixaram os resultados. Apenas Linha da Frente e Sexta às 9 conseguiram manter-se acima dos 10% de quota de mercado.

Seguiu-se a nova série de ficção da RTP1, Sinais de Vida, exibida de segunda a sexta feira, e que veio substituir a linha de concursos de cultura geral. Os resultados voltaram a piorar e a RTP1 aproximou-se da competitividade da sua irmã RTP2. No seu melhor dia, a sexta passada, a série não teve mais vida do que 5% de share.

A noite continuou com um conjunto de programas de infotainment que mantiveram os resultados na mesma linha de Sinais de Vida. Foram os piores programas do horário nobre da RTP1 em termos de competitividade, sempre a rondar os 3% de share. A terminar o horário nobre, a nova temporada de 5 Para a Meia-Noite animou um pouco a estação pública, com um share que variou os 4 e os 7%.

No computo geral do all-day, o primeiro canal rondou os 11-12% de share médio, enquanto na semana anterior, com a programação antiga, a sua média estava mais próxima dos 14% de share.