O Desafio Final de Secret Story estreou no domingo passado e, na votação para escolha dos concorrentes, excluiu os da primeira edição do reality-show. Os motivos alegados são vários, mas ganha força a ideia de que poderá ter falado mais alto a rivalidade entre Teresa Guilherme e Júlia Pinheiro.

A Notícias TV avança esta semana que a apresentadora das edições 2 e 3 não quis os concorrentes do primeiro programa por não os conhecer. A alegada história não caiu bem junto dos ex-participantes, que criticam a atitude de Teresa.

António Queirós, vencedor de Secret Story 1, admitiu alguma surpresa com a decisão da produção. O ex-concorrente desafia «A Teresa podia vir a conhecer-nos. Se calhar até podia ficar surpreendida. Até porque nós somos muito diferentes destas duas edições. Éramos mais maduros, mais velhos», contou o o ex-concorrente.

Hugo F. aponta como injusta a decisão da Endemol e da TVI: «Penso que não deve ter a ver com a rivalidade entre a Júlia e a Teresa, mas se calhar o problema é esse. Ainda assim, nós pertencemos ao mesmo programa e, se este é o desafio final, também devíamos ter sido convidados. Seríamos uma mais-valia. Fomos pioneiros neste reality-show em Portugal. É injusto terem-nos posto de lado. O sucesso que a Casa teve foi às nossas custas».

Júlia Pinheiro "a rebolar" na primeira edição do reality-show

Júlia Pinheiro “a rebolar” na primeira edição do reality-show

Jade Carpinteiro, também da primeira edição, diz que «Parece que nos querem fazer esquecer. A Teresa devia tentar conhecer-nos. Não olhar para nós como sendo concorrentes da Júlia». Zé Miguel aponta «discriminação» e que a decisão da produção é «ridícula» – «Se estão lá concorrentes da segunda e da terceira edição porque renegam os da primeira?», pergunta o antigo participante.

Vera Ferreira, a conhecida Veríssima, dá razão à apresentadora, diz que «tem toda a lógica» e que nada tem a ver com «a guerra com Júlia Pinheiro», mas sim com as preferências pessoais de Teresa. No entanto acaba por reconhecer que nos últimos dias teve «um boom de gostos» na sua página oficial do Facebook e que recebeu «muitas mensagens» a questioná-la dos porquês para não estar dentro da Casa.

O diretor-geral da TVI, Luís Cunha Velho, justifica a decisão da produção dizendo que não está relacionada «com esquecer a herança de Júlia Pinheiro. Nem sequer pensámos nisso. Mas se convidássemos os concorrentes da primeira edição seria um número exagerado de candidatos», começa por dizer o responsável, que explica ainda que «a segunda edição foi fortíssima e sabíamos que havia uma apetência e uma vontade de alguns deles em voltar à Casa».