A curta-metragem Tabatô, de João Viana, foi nomeada para a competição oficial de curtas-metragens do Festival de Berlim, a decorrer de 7 a 17 de fevereiro na capital alemã.

Tabatô foi realizado numa aldeia da Guiné Bissau com o mesmo nome, um “local extraordinário” segundo João Viana. O realizador admitiu que pensou em primeiro lugar em fazer um documentário mas, como “aquela é uma terra de contadores de histórias”, acabou por enveredar pelos caminhos da ficção e fazer uma curta e uma longa-metragem – a primeira do realizador – que deve chegar às salas nacionais no segundo semestre de 2013.

As produções enunciadas são produzidas pela Papaveronoir, produtora criada em 2009 pelo realizador. Viana tem como objetivo principal ir a Berlim com a sua película, mas dificuldades e incertezas ainda são grandes: “Não tenho dinheiro para ir nem sequer para fazer as cópias para mandar para o festival, vamos ver como faremos”. Fica por isso à espera que o ICA, entidade reguladora e financiadora da atividade cinematográfica portuguesa, abra os concursos de apoio à participação nos festivais.

O português estreou-se em 2004 com A Piscina, que entrou em competição em Veneza, e realizou também Alfama, que competiu em Clermont-Ferrand.