O fotógrafo japonês Shomei Tomatsu morreu de pneumonia a 14 de dezembro, com 82 anos de idade. Deve a sua celebridade aos retratos de sobreviventes da bomba atómica de Nagasaki, em 1945.

Nascido em 1930, tinha apenas 15 anos aquando do lançamento da bomba que o catapultaria para o sucesso. De facto, a série de retratos não foi tirada diretamente após a catástrofe, mas sim em 1961. Tomatsu tinha nesta altura formação académica em Economia, trabalhos expostos na imprensa como freelancer e através do grupo Vivo, com a parceria de mais dois fotógrafos.

A família, que anunciou a sua morte à agência Efe cerca de 4 semanas depois da data real, revela intenções de manter o legado – o livro Hiroshima-Nagasaki Document 1961 e as mais de 600 fotografias expostas no Museu da Bomba de Nagasaki.

Foi esta publicação dos retratos em livro que cativou inicialmente a imprensa para este artista de Nagoya. Atualmente, os críticos apontam-no como influência para as seguintes gerações de fotógrafos.