A multidão à porta da Zé dos Bois fazia prever que a sala seria pequena para receber uma das revelações do ano. Os Minta and The Brook Trout já contam com três discos de originais e encheram ontem a galeria do bairro alto sem dificuldades.

Todo este aparato muito graças ao novo longa-duração da banda, gravado pela Optimus Discos, Olympia que subiu bem alto em muitos tops nacionais. E foi precisamente ao som do último disco que o concerto começou e se baseou, mas os Minta não tocaram sozinhos. Os convidados João Cabrita (saxofone) e Ian Carlo Mendoza (percussões) não tardaram a entrar e a elevar a sonoridade da banda ainda mais longe. Em músicas como Blood and Bones o saxofone de João Cabrita encheu a galeria com grande estilo.

Não há dúvida que o novo disco da banda é fortíssimo, tocado quase metade de seguida com Devil With Me ou Future Me, conseguiu conquistar uma sala mais que cheia, com uma média de idade não inferior aos 30 ano e que não parecia ser assim tão fácil de convencer.

Mas não foi só o Olympia que se fez ouvir. A song to Celebrate Your Love, música lançada no primeiro disco da banda, em 2008, foi bem recebida pela pequena multidão.

O concerto ainda não ia a meio quando Francisca Cortesão anuncia dois covers, um deles You Swan, Go on dos Mount Eerie, que passaram em 2011 pela Zé dos Bois.

Depois de The Right Boulevards, o primeiro disco da banda voltou a fazer-se ouvir, desta vez com Search Skin Deep. A sala já estava “hipnotizada” quando os Minta libertaram o falcão, que voou bem alto na galeria. O single da banda não esconde as influências de Washington, com uma sonoridade quase texana. Falcon podia fazer parte da banda sonora de um filme de cowboys. Os Minta terminam em grande a primeira do concerto com At Your Will, um registo fiel à identidade musical da banda. Com simplicidade (e músicas de 3 minutos ou menos) a atmosfera estava criada e a carismática galeria transpirava Minta por todo lado. O final da primeira parte foi, sem dúvida, um dos momentos mais altos do concerto.

O público obrigou a banda a voltar duas vezes ao palco, com Family e Large Amounts do disco homónimo, lançado em 2009, na segunda parte. From the ground, na terceira parte, foi outro dos momentos altos do concerto.

Ajudados pelos convidados João Cabrita e Ian Carlo os Minta and Brook Trout venceram na Zé dos Bois. O concerto foi pequeno, mas Francisca Cortesão defendeu-se dizendo que as músicas também não eram grandes.

A banda encontra-se de momento em digressão, com um fantástico trabalho em mãos e, ao vivo, dão provas que são músicos experientes que já somam cinco anos de estrada. Simples e viciante, a sonoridade dos Minta é extremamente eficaz ao vivo. Se tiveres oportunidade, não deixes de os ver.

 Créditos Fotográficos: Bernardo Martins / Hardmúsica