O cineasta Paulo Soares da Rocha, que já se encontrava hospitalizado há algum tempo, faleceu esta manhã, no Porto.

Autor icónico do cinema português e com uma carreira de mais de 50 anos, foi o criador de filmes como Os Verdes Anos (1963), A Raiz do Coração (2000) e Vanitas (2004).

Iniciou-se no cinema em 1959, ano em que partiu para Paris e estudou realização. Mal concluiu o curso, em 1962, torna-se assistente de realização do francês Jean Renoir. É um ano depois que é assistente de Manoel de Oliveira, em 1963. Nesse mesmo ano, o realizador assina Os Verdes Anos, uma obra marcante no cinema nacional. Com esta primeira obra passa a ser referenciado como uma das referências no Cinema Novo português.