Quase no final daquele que deveria ter sido o último dia de sempre, o Porto recebeu, no Metalpoint, o X-MAS HC Benefit, o primeiro evento organizado pela promotora Hardcore Nacional PT. O Benefit era a favor da The Hardcore Help Foundation (HHF), um grupo internacional de ação social que recorre à venda de merchandise doado por fãs e bandas de hardcore de modo a ajudar aqueles que mais precisam. Para isso, pudemos contar com os Fight Today, Same Old Chords, The Fall Apart e os The Idyll’s End.


A população presente às 22 horas no centro comercial escondido algures ao pé da Faculdade de Belas Artes diferia em quase tudo. Se uns estavam à espera de uma noite de sons românticos na discoteca que já se fazia ouvir bem alto, outros, alguns degraus acima, aguardavam umas horas agitadas pelo hardcore. Coube aos Fight Today a sempre difícil tarefa de dar início ao concerto mas criando boas expectativas para o resto da noite: hardcore sempre a abrir, a Zona Centro ficou bem representada.

Foi uma sala a meio gás que recebeu os Same Old Chords. Mas nem por isso se deixou de fazer a festa – e que festa!. Num chão demasiado escorregadio, o punk-hardcore desta banda de Lisboa fez-se acompanhar de um fabuloso espetáculo de patinagem artística versão extreme. Márcia, a nova vocalista, estreou-se com nota positiva, mostrando o que vale entre berros poderosos e partes cantadas – Love foi prova disso. Já quase no final e dentro do espírito natalício, a banda presenteou-nos com uma cover sem censura de Papai Noel, Velho Batuta dos Garotos Podres.

Seguiram-se os também lisboetas The Fall Apart. Na verdade, metade da sala era malta que tinha vindo da capital apoiar as bandas amigas. Ainda novinhos, estes rapazes demonstram uma enorme pujança e à vontade em palco que muitas bandas gostavam de ter. Há apenas que apontar a falta de linha condutora entre as músicas, o que faz parecer que a banda não consegue decidir que estilo tocar. No seu set incluíram uma cover de Champion onde, em jeito de  brincadeira, Flávio, o guitarrista de Same Old Chords, tomou o lugar na bateria.

Os The Idyll’s End fecharam a noite da melhor maneira. Sem erros, sem medos e bons riffs técnicos, a voz rasgada de Gualter é a cereja no topo do bolo. Para fãs de deathcore e géneros semelhantes, recomendo a audição – ou a ida a um concerto. Após Inner World, a cover de Everyone Bleeds Now, dos Hatebreed, levou a sala ao rubro e muita gente ao chão.

E assim se fez um concerto memorável com poucas pessoas, numa sala escura de um centro comercial, em plena cidade do Porto. Segundo a organização, conseguiram angariar 80€ a favor da HHF.