A Impresa, proprietária da SIC, vai despedir até ao fim do ano um total de 18 trabalhadores. A saída, por meio de rescisões amigáveis, está relacionada com a necessidade de reduzir orçamentos para o próximo ano, sendo que o diretor-geral do canal de televisão, Luís Marques, explicou ao Correio da Manhã que esta é uma «fase de negociações» e que, «com a saída dos 18, a empresa fecha o orçamento para 2013». 

No entanto, e de acordo com fontes na empresa, as negociações para rescisão de contratos não estão a ser fáceis, sendo alegado que há «ameaças» a quem não está a aceitar as condições impostas pela entidade patronal. É lhes dito «que pode haver despedimento coletivo ou extinção do posto de trabalho», adianta o jornal.

A redução de custos, bem como a própria reestruturação da empresa, imposta por uma crise, que segundo Francisco Pinto Balsemão, «manda mais que nós», pode não ficar por aqui. Não é garantido que o início do próximo ano não traga mais despedimentos, mesmo depois da Impresa ter aberto, em todas as suas áreas de operação, um processo de rescisões amigáveis que abrange mais de 50 colaboradores.