No terceiro dia da Mostra de Cinema da América Latina, a política foi o tema central nas longas-metragens apresentadas.

Entre os vários filmes da sessão de ontem destacam-se Bosch:Presidente en la Frontera Imperal, o documentário de René Fortunato relata a história do primeiro Presidente eleito democraticamente pelo povo dominicano; Juan y Eva, um filme biográfico que retrata a relação conjugal de Eva Duarte e Juan Perón no inicio da sua carreira política; e, finalmente, Hoje de Tata Amaral, que conta a história de Vera, uma ex-militante politica que recebe uma indemnização do governo devido ao desaparecimento do seu marido durante a ditadura militar brasileira (1964-1985).

Juan y Eva – 8/10

A história nunca antes contada dos primeiros passos de Juan Perón antes da sua eleição a Presidente da Argentina. Antes do “Peronismo”, Juan era um Coronel promovido a Vice-Presidente e Eva era uma atriz de rádio, de famílias humildes e pouco reconhecida pela sociedade. Foi no terramoto de 1944, que os dois se encontraram e iniciaram um verdadeiro romance.

Contrariamente à maior parte dos políticos, Juan deixava-se acompanhar pela sua mulher, que assistia às reuniões militares e às chantagens de guerra. Obviamente que a sua presença foi contestada pelo meio masculino, que não via a sua condição de mulher pobre digna de um oficial do Estado.

O filme documenta o terramoto de 1944 e a greve geral a favor da libertação de Perón através de vídeos da época, que transportam o espectador ao ambiente histórico. Certas cenas do filme foram colocadas a preto e branco precisamente para auxiliar a transição subtil entre os planos captados na altura dos acontecimentos e os planos gravados para o filme.

A realizadora recorre a planos de pormenor de modo a criar suspense nas cenas, tal como fez uso do slow motion fazendo com que as personagens se movimentassem como numa dança. Um toque de mestre da realizadora Paula Luque, que é também uma bailarina conceituada na Argentina.

A cena mais comovente do filme foi o reencontro de Eva e Juan, após a revolução popular que reclamou a libertação do Coronel. Durante a história acompanhamos o romance dos dois e a forma como o amor engrandeceu, principalmente quando Juan foi preso e afastado da sua amada Evita.

Um filme emocionante com um contexto histórico verídico, recomendado a toda a família.