Foi apresentado esta semana o programa final deste ano em que Guimarães foi capital europeia da cultura. “Nós fazemos parte! 48h de Guimarães 2012” é o nome deste projecto que ocupará toda a cidade entre as 20h00 do dia 21 e as 20h00 do dia 23 de dezembro, levando a música, performances e intervenções urbanas a espaços públicos e privados da cidade.

Na sexta-feira, dia 21 de dezembro, à noite no pavilhão multiusos é passado o testemunho de capital europeia da cultura às cidades Košice e Marseille-Provence, seguindo-se o espectáculo de encerramento “Então ficamos…”. Centenas de pessoas subirão ao palco partilhando o resultado de dois anos de residências artísticas. Este promete ser um dos momentos mais marcantes de todo o ano, não só pelo elevado número de participantes, mas também pela convergência de tão variadas artes. Às 23h55 iniciar-se-á a “Festa do Não Fim do Mundo” no Centro Histórico.

Durante todo o fim-de-semana será possível revisitar os projetos e os acontecimentos mais importantes de Guimarães Capital Europeia da Cultura 2012, com exposições de fotografia, performances, vídeos, livros na Plataforma das Artes e da Criatividade. Em paralelo acontecerá por toda a cidade “A minha cidade é a tua casa”, um projeto que leva mais longe o “Mi casa es tu casa”, envolvendo músicos, comediantes, atores e escritores.

No sábado, os Fura del Baus voltam a onde tudo começou- o largo do Toural. Com a participação do coro Infantojuvenil da Sociedade Filarmónica Vizelense e dos voluntários de Guimarães 2012, acontecerá o espectáculo “Nós fazemos parte”. A celebração segue para a zona da Caldeiroa com a “Festa Gróia’12- The Day After!”. No Domingo às 18h a Fundação Orquestra Estúdio volta a subir ao palco do pavilhão multiusos com a Gala de Natal.

Guimarães foi capital europeia da cultura neste ano que se aproxima do fim. O património nacional e regional desta cidade minhota misturou-se com o talento da restante Europa, promovendo a diversidade cultural e valorizando várias áreas que ficam esquecidas em tempos de crise. Música, dança, teatro, artes de rua, cinema, fotografia, arquitectura, artes plásticas, literatura e pensamento foram bastante explorados este ano. Além disso, a maior parte dos projectos iniciados este ano terão continuidade no futuro, o que fará de Guimarães muito mais que o berço do país, mas também um importante marco cultural, do qual todos nós fazemos parte.