Após o sucesso de Laço Branco, o realizador Michael Haneke regressa em beleza ao grande ecrã com um filme emocionante e perturbador. Amour estreia esta semana nas salas de cinema.

Anne e Georges são um casal reformado, antigos professores de música, e vivem em Paris. Uma manhã quando Anne preparava o pequeno-almoço para o seu amado marido, ela perde a noção de tudo e a sua mente fica em branco. Completamente sem reação, Georges sai da cozinha para pedir ajuda, contudo quando regressa vê Anne  no seu estado normal como se nada tivesse ocorrido. Tudo parecia estar bem, contudo minutos depois o episódio repete-se e as suspeitas de uma doença grave são iminentes. Depois de um ataque, Anne é operada sem sucesso e fica sem reação na maior parte do seu corpo.

Amour é um filme surpreendente que examina a força do amor num momento assombrado pela morte. O realizador retrata a vida de um casal idoso parisiense, Anna e Georges, que enfrenta uma longa batalha contra o tempo. Ele consegue, com mestria, isolar os dois protagonistas no seu apartamento e o espectador torna-se parte integrante daquela relação intima encerrada entre quatro paredes. O apartamento é como um palco onde se constrói o passado, o presente e o potencial futuro das suas vidas. Desta forma, o realizador consegue aproximar a audiência desta história dramática de forma inigualável.

A performance de Emmanuelle Riva é impressionante. A atriz consegue transmitir todas as suas limitações físicas através da sua meticulosa linguagem corporal, como também aproveita esse facto para explorar as suas emoções através do contacto visual intenso com o seu parceiro de cena Jean-Louis Tritignant. Foi um desafio para a atriz interpretar este papel, pois a maior parte dos seus membros tinham de estar imóveis e, paralelamente, o seu sentimento e expressividade teria de ser a chave para o desenrolar de todo o filme.

O objetivo de Haneke não é impressionar o espectador com um final inesperado, visto que no início do filme já sabemos o destino de Anne. Pelo contrário, ele pretende mostrar a batalha quotidiana do casal, a evolução da relação durante este sofrimento e a força do amor que vai fortalecendo à medida que o derradeiro suspiro se aproxima.

Esta é uma história de lealdade, em que o amor sempre triunfa mesmo através da morte. É uma lição de vida para toda a família, a não perder numa sala de cinema perto de si.

9/10

Ficha Técnica:

Título Original: Amour

Realizador: Michael Haneke

Argumento: Michael Haneke

Elenco: Jean-Louis Tritignant, Emmanuelle Riva, Isabelle Huppert, Rita Blanco

Género: Drama

Duração: 127 minutos