Festival Córtsx II FESTIVAL DE CURTAS-METRAGENS DE SINTRA

“Noite” e “Nada Nazi” premiadas no Festival Córtex de Curtas

Ontem, no Centro Cultural Olga Cadaval, em Sintra, os prémios do festival Córtex 2012 para Melhor Curta Nacional (Prémio melhor curta nacional do Cortex 2012), Melhor Curta Internacional e Melhor Curta Nacional (Prémio do Público) foram entregues às curtas-metragens Noite, Blu e Nada Nazi, respetivamente.

Noite, do realizador Flávio Pires, retrata a vida de um jovem que tem de dividir o seu tempo entre as suas duas grandes paixões, a banda de heavy metal e a avó doente. Blue, do romeno Nicolae Constantine Tanase, mostra a relação familiar entre pai, mãe e filha, que ficam inesperadamente parados no meio da estrada com uma avaria no carro. Relativamente à curta Nada Nazi, de Filipa Reis e João Miller Guerra, continua-se com um trio, no entanto, desta vez, entre três investigadores, que estão a desenvolver uma tese, no Bairro Casal da Boda, onde lhes é roubada uma câmara de filmar, que acabará por registar um crime.

Neste festival, visualizaram-se outras curtas-metragens, como é o caso de Rafa, de João Salaviza, A viagem, de Simão Cayatte, Os vivos também choram, de Basil da Cunha, Manhã de santo António, de João Pedro Rodrigues, as animações Kali, o pequeno vampiro, de Regina Pessoa, entre outros títulos.

Para além das nacionais, esta competição contou com a presença de sete produções internacionais, nomeadamente, de França, da Alemanha e da Roménia. São elas, À Trois, de Vanessa Clément, Blu, de Constantine Nicolae Tanase (vencedor da Melhor Curta Internacional), e Scylla, de Jean Charles Gaudin e Aurélien Poitrimoult.

Conta-se um total de 29 curtas exibidas ao longo de cinco dias. Laura Soveral, Rita Blanco, Teresa Villaverde e Vasco Câmara foram as personalidades escolhidas para constituírem o júri.

Na sessão de abertura do  Festival de Curtas-metragens de Sintra foram, ainda, exibidas outras cinco curtas, em homenagem ao convidado especial António Campos, como Puberty (1997) e Buy it now (2005).

Mais Artigos
Livraria Lello
J.K. Rowling revela que afinal a Livraria Lello não inspirou ‘Harry Potter’