No passado dia 24 de Novembro, David Fonseca fez paragem em Torres Novas, com a sua nova digressão Seasons – Rising : Falling, proporcionando aos fãs uma viagem pela sua vida durante um ano, através da sua música. O Espalha-Factos esteve presente e falou com o músico, que com o seu bom humor e nos recebeu, após mais um absorvente concerto.

Durante um ano, David Fonseca embarcou num dos maiores desafios da sua carreira: ao invés de transpor para um diário o seu quotidiano, o músico, cantor e compositor converteu as suas experiências em letras e o resultado é este: dois discos num só ano. O mais recente projeto conta com as colaborações de Luísa Sobral em It shall pass, Mallu Magalhães em Monday, Tuesday, Wednesday, Thursday e de Mário Barreiros, na bateria, nas músicas At Your Door e Heartbroken.

Apaixonado pela música e pela fotografia, o cantor continuou fiel a si próprio e, numa noite fria e chuvosa, aqueceu a sala Torrejana, numa entrega e performance únicas. Com o habitual jogo de luzes e a cenografia preparada, David Fonseca cantou e encantou aqueles que ali, durante cerca de duas horas, se deixaram levar por mais um sucesso na sua carreira, que já conta com nove primaveras.

 Para além de ter apresentado os dois novos álbuns, David Fonseca não pôde deixar de trazer ao público clássicos como Kiss me, Someone That Cannot Love e Cry 4 love e, ainda, em tom de improviso, recuou dez anos e surpreendeu os fãs com Eu não sei dizer, dos Silence 4.

Após o concerto o Espalha-Factos trocou dois dedos de conversa com músico, que connosco partilhou a complexidade que foi fazer dois discos num só ano. Contudo, não seria isto impedimento para dar continuidade a este projeto: “Por norma as ideias, elas têm que marchar por si próprias, e uma pessoa quando tem uma ideia não a pode largar por ela parecer um bocado difícil de realizar. E ao início pareceu um bocadinho complexo, mas achei que era um desafio que valia a pena iniciar“. Revelou ainda que o objetivo de Seasons era no fundo um “diário musical“. Contente com a receção do público a este trabalho, o cantor confidenciou ainda que é preciso “virar um bocado o barco“, com fim de procurar outras direções e não descansar numa espécie de zona de conforto em que o feedback positivo será já uma garantia. Sendo este um dos pontos altos da sua carreira, despede-se e reforça a ideia de que “o artista e os músicos não devem ser um descanso, é um bocado o contrário, devem ser a provocação“.

Para aqueles que acompanham o seu trabalho, o próximo concerto realizar-se-á no próximo dia 7 de dezembro na cidade de Guimarães. Poderás encontrar toda a informação sobre a discografia, e mais especificamente do último álbum, no site oficial, em http://www.davidfonseca.com/.

Fotografias por Maria Beatriz Oliveira