Stephen Chbosky publicou em 1999 um romance epistolar intitulado The Perks of Being a Wallflower ou, em português, As Vantagens de Ser Invisível. Mais de uma década depois, realiza e produz a sua primeira longa-metragem, com a adaptação para o cinema do seu próprio romance, o que não é muito comum. E digamos que não se saiu nada mal.

A história passa-se no início dos anos 90, à volta de Charlie (Logan Lerman), adolescente que entra para o liceu (o típico high school norte-americano) como um jovem tímido, pouco popular e detentor de uma sensibilidade literária pouco comum, que é alimentada pelo professor de Inglês. Apesar destas condicionantes que ditam à partida o seu insucesso social, Charlie conhece dois alunos mais velhos, Sam (Emma Watson e o seu meio irmão Patrick (Ezra Miller), que imediatamente o acolhem no seu círculo social de desajustados (e que bem que lhes assenta a palavra misfits ).

Entretanto, Charlie vai escrevendo cartas – os traços do género epistolar do livro – para um amigo que já morreu ao qual se junta o seu estado latente de depressão, causada pela morte precoce de uma tia. O autor aborda problemas típicos da adolescência, num regime de proximidade que consegue afastar muitas vezes os clichés e mostrar outro ponto de vista sobre estes assuntos: álcool, drogas, relações amorosas, sexualidade e decisões em relação ao futuro académico.

Este eixo constituído pelas personagens Charlie, Sam e Patrick é um dos pontos mais fortes do filme, com interpretações intensas e comoventes. Se, por um lado Logan consegue exprimir a complexidade da sua personagem sem entrar em autocomiseração, por outro lado Emma Watson também nos convence como estudante do liceu, naquela que é a sua hipótese de se descolar de Hermione. Para completar, o brilhante Ezra Miller está surpreendentemente engraçado, interpretando um gay com uma personalidade extravagante. A dinâmica entre o trio é muito boa, representada perfeitamente pela cena do túnel ao som de Heroes, de David Bowie.

 As Vantagens de Ser Invisível é um filme com o qual facilmente nos identificamos e que pode até ser inspirador para muitos, quer seja pelo sentimento de desajustamento, pela constatação da importância que a amizade tem e o sentimento de pertença ou mesmo por uma adolescência passada ao som de The Smiths, New Order ou Sonic Youth.

8/10

Ficha Técnica:

Título Original: The Perks of Being a Wallflower

Realizadores: Stephen Chbosky

Argumento: Stephen Chbosky, a partir do livro de Stephen Chbosky

Actores: Logan Lerman, Emma Watson, Ezra Miller, Kate Walsh, Paul Rudd

Género: Drama, Romance

Duração: 102 minutos

 

*Por opção da autora, este artigo foi escrito segundo as normas do Acordo Ortográfico de 1945.