A direção do Teatro Aberto emitiu um comunicado onde informam que amanhã, solidários com a greve geral, não apresentarão o espetáculo “Pelo Prazer de a Voltar a Ver” para não serem “conotados com as políticas nefastas que têm sido seguidas pelo governo”.

A companhia de teatro lisboeta explica ainda que embora estejam solidários com esta greve geral, acreditam que “um dia de greve geral não é suficiente para forçar as mudanças que o país necessita”. A companhia vai mais longe, afirmando que “talvez uma semana de greve geral pudesse levar à queda do Governo” para além das recorrentes manifestações independentes.

Justificando o seu protesto com a história dos textos que apresentam, “marcados por um comprometimento político e social”, afirmam que estão solidários com a greve geral marcada para amanhã e, explicam, estão “inquietos perante esta nuvem de incerteza que paira sobre o futuro do teatro em Portugal”.

O grupo do Teatro Aberto foi criado em 1982 e já apresentou, até à presente data, mais de 80 espetáculos.