27 de Outubro – Neste penúltimo dia do Doclisboa’12, revelaram-se os vencedores na Sessão de Encerramento, onde foi exibido Cesare deve morire, em ante-estreia. Neste dia, espaço ainda para Tropicália, inserido na secção Heart Beat.

Vencedores Doclisboa’12:

Competição Internacional

 – Grande Prémio Cidade de Lisboa para melhor longa-metragem da Competição Internacional: San Zimei, de Wang Bing

– Prémio Especial do Júri: The Anabasis of May and Fusako Shigenobu, Masao Adachi and 27 Years without Images, de Eric Baudelaire

E ainda uma Menção Especial para Sofia’s Last Ambulance, de Ilian Metev

Prémio Siemens para melhor curta-metragem da Competição Internacional: Dusty Night, de Ali Hazara

Menção Especial: Relocation, de Pieter Geenen

– Prémio Revelação – Fast Forward
Prémio para a melhor primeira obra transversal à Competição Internacional, Investigações e RiscosEspoir Voyage, de Michel K. Zongo

– Prémio Universidades
Prémio Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa para melhor longa-metragem da Competição Internacional: Babylon, de Youssef Chebbi e Ismaël, Ala Eddine Slim

 Na secção Investigações

 Prémio RTP2 para melhor documentário de Investigação
: Un Mito Antropologico Televisivo, de Alessandro Gagliardo, Maria Helene Bertino e Dario Castelli

Competição Portuguesa

– Prémio Liscont para melhor longa-metragem da Competição Portuguesa: Terra de Ninguém, de Salomé Lamas

Com uma Menção Especial para Amanhecer a andar, de Sílvia Firmino

– Prémio Jameson para melhor 1ª obra (primeira ou segunda longa-metragem) da Competição Portuguesa: Terra de Ninguém, de Salomé Lamas

– Prémio Canon para melhor curta-metragem da Competição PortuguesaAux Bains de la Reine, de Maya Kosa e Sérgio da Costa

Com uma Menção Especial para: A Nossa Casa, de João Rodrigues

– Prémio Escolas – 
Prémio Restart para melhor longa-metragem da Competição Portuguesa
: Terra de Ninguém, de Salomé Lamas

– Prémio do Público
 – Prémio Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias para melhor longa-metragem Portuguesa: Terra de Ninguém, de Salomé Lamas

– Prémio C.P.L.P.
. Prémio para a melhor longa-metragem dos Países de Língua Portuguesa: Cativeiro, de André Gil Mata

Terra de Ninguém foi o grande vencedor desta edição do Doclisboa, tendo ganho quatro prémios no total. Hoje, no último dia do Doclisboa’12, será possível ver alguns dos filmes premiados. Informação mais detalhada sobre essas sessões aqui.

Tropicália – 8/10

Realizado por Marcelo Machado, Tropicália é um olhar contemporâneo sobre o movimento cultural brasileiro Tropicalismo, que teve o seu auge no final dos anos 60.

Lisboa, 1969, programa televisivo Zip-Zip: é assim que tem início o documentário, quando Caetano Veloso e Gilberto Gil vão ao programa actuar. O filme recorre a vários filmes da época, imagens de arquivo e testemunhos dos criadores e percursores do movimento para construir uma narrativa que, para além de nos explicar o tropicalismo, também o enquandra no contexto socio-político do Brasil, que se encontrava sob uma ditadura militar. Caetano Veloso e Gilberto Gil são apenas dois dos nomes mais sonantes do movimento, tendo mesmo sido obrigados ao exílio nesta época e passado por Londres e pelo festival Woodstock.

Tom Zé protagoniza um dos momentos altos do filme onde explica, com muito sentido de humor, as mensagens implícitas nas letras e as tranformações que pretendiam operar nas mentes dos jovens, resumindo assim os objectivos do movimento. Uma incursão pela cultura e arte brasileiras mas também por um período histórico.

*Por opção da autora, este artigo foi escrito segundo as normas do Acordo Ortográfico de 1945.