Fonte governamental informou hoje a Antena 1 e o Jornal Económico que a RTP2 é para continuar com o mesmo perfil, mesmo depois de privatizada. Contudo, a direção da RTP não garante futuro do canal.

Ainda segundo fonte governamental, a decisão de manter o canal, visto por muitos como essencial para a manutenção do “serviço público”, é a primeira decisão após a entrada do novo conselho de administração, dirigido por Alberto da Ponte. A programação manter-se-á idêntica à atual mas com um orçamento mais reduzido, afirma.

Contudo, contactado pelo Jornal Económico, Miguel Relvas assume que “ainda nada está decidido”, deixando portanto a decisão em aberto.

Tal como o Ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares, também a administração deixa a decisão em aberto, sublinhando que a decisão é da responsabilidade do Estado: “Quando a decisão for tomada, será tornada pública”.

A preocupação pela continuidade do canal acentuou-se depois de declarações de António Borges, consultor do governo para as privatizações, onde afirmara que a RTP2 iria provavelmente acabar.